maio 18, 2020

O homem do Canaã

Tive meu primeiro contato com Wilson Braga em 1989 em Cajazeiras, eu estava saindo dos estúdios da rádio, estreando como radialista nos microfones da Difusora Rádio Cajazeiras e Patamuté Fm, ele chegando para participar do programa mais famoso do sertão paraibano, O BOCA QUENTE. Nosso encontro foi na subida da escada, eu ditando moda, tinha chegado recente de São Paulo, (morei por um tempo lá), usava uma calça jeans rasgada, hoje todo mundo usa, naquela época causava impacto em algumas pessoas,  graças a bendita calça não passei despercebida, ele vinha acompanhado dos assessores, eu tímida ao extremo, dei um boa-tarde formal, ele respondeu e já foi logo segurando em  meu braço, perguntou meu nome, de onde eu era e ficou feliz quando respondi que era sua conterrânea da cidade de Conceicão, fez perguntas sobre a minha família, aproveitei e disse de quem era filha e que ele era padrinho de uma das minhas irmãs, também chamada Lúcia. Respondeu que conhecia toda a minha família e citou o nome do meu tio Sinhorzinho: “ Então você é sobrinha do meu amigo Sinhorzinho? Gosto muito dele”, chamou um dos assessores e disse: 
“Menino, der dinheiro a essa moça para comprar uma calça”, todos riam muito com o jeitão dele sempre brincalhão, menos eu que não sabia se ria ou chorava de tanta emoção por ter conversado pela primeira vez com o  ícone da política paraibana, o campeão de votos temido pelos seus adversários políticos. Braga nunca foi um  simples político ele era simplesmente o homem mais venerado pelo povo de Conceicão e pela maioria dos paraibanos, especialmente os sertanejos. Braga na Paraíba era tido como o homem do projeto Canaã, aquele que matava a sede do povo, construiu açudes e grandes barragens, trazendo esperança ao povo sertanejo tão sofrido, era aquele que dava casa pra pobre morar(Projeto grande Mutirão). Braga incentivava  os estudos especialmente dos  marginalizados, ele gerou emprego e renda melhorando a vida do povo da Paraíba. Conheço muita gente que hoje tem um emprego porque Braga deu, nunca tive dúvidas que ele nasceu para ser anjo na vida de muita gente. Pena que muitos deles nos últimos tempos esqueceram as ações deste homem que tanto fez pela Paraíba.
Passaram-se 04 meses, eu já estava prestando serviços na Radio Líder Fm na cidade de Sousa, quando recebi um telefonema do nosso estimado amigo Manoel Raposo, Raposo anunciava que o eterno governador estava passando em Sousa pedindo que eu mandasse um abraço no meu programa e avisasse que Wilson Braga estava no sertão, fiquei feliz e comecei a falar no homem do Canaã, dei aquela caprichada. No dia seguinte Raposo me ligou novamente me dando a notícia que Wilson Braga estava instalando a Rádio Cidade de Piancó e que estava me convocando para trabalhar na primeira FM do vale do Piancó. O recado foi bem direto, “ele mandou dizer que você é de Conceição e que vai ficar perto de casa” Aceitei o convite e em Junho de 1990 iniciei meu trabalho na RÁDIO CIDADE DE PIANCÓ FM onde prestei serviços por 04 anos. Como sabemos, a festa de Santo Antônio em Piancó é a mais tradicional da Paraíba e ele era o político que não podia faltar, os filhos de Piancó aguardavam ansiosos a sua nobre presença. O diretor geral Antonio Teotônio aproveitou para inaugurar oficialmente a Rádio durante os festejos do padroeiro. A partir desse tempo conheci um ser  humano solidário,generoso, atencioso principalmente com as pessoas mais simples. Ele nunca fez tipo, ele sempre foi autêntico. Tenho a honra de dizer que ganhei um
amigo tão importante na Paraíba, sempre me tratou com atenção, respeito e amizade. 
O que mais me encanta em Wilson Braga é o modo com que sempre tratou as pessoas mais simples, e se eu tivesse por perto eu era a fotógrafa dele: “Nena Martins faça o retrato,revele e entregue aos meus amigos”, sempre cumpri a risca. Amo você Dr Wilson para sempre. Te agradeço sempre por tudo que fez por mim durante esses 30 anos, você sempre soube da minha gratidão. 


 por Nena Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário