março 30, 2020

Em artigo, a The Economist critica a postura do presidente no enfrentamento a doença



A publicação chegou a chamar o chefe do Executivo brasileiro de "BolsoNero" em uma referência ao imperador romano que entrou para a história como insano por ter mandado incendiar Roma. 

A revista britânica The Economist publicou artigo, nesta quinta-feira (26/3), em que critica a postura do presidente Jair Bolsonaro no enfrentamento da pandemia do coronavírus no Brasil. A publicação chegou a chamar o chefe do Executivo brasileiro de "BolsoNero" em uma referência ao imperador romano que entrou para a história como insano por ter mandado incendiar Roma.
Segundo a publicação, o presidente está indo na contramão de governadores que estão tomando medidas para tentar conter o vírus no país e faz piada com a doença, a qual chamou de "gripezinha". A revista cita que parte da comitiva que viajou com o presidente para os Estados Unidos foi diagnosticada com Covid-19 e que, mesmo assim, Bolsonaro não respeitou as regras de isolamento e saiu para cumprimentar manifestantes em 15 de março. A revista ainda faz elogios ao ministro da Saúde, Luiz Mandetta, e ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.
O artigo ainda lembra dos riscos do sistema de saúde brasileiro entrar em colapso se a curva da quantidade de casos não ficar espaçada.
Não é a primeira vez que a revista tece críticas ao presidente brasileiro. Em agosto do ano passado, a publicação apontou risco à Amazônia por atitudes omissas do presidente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário