fevereiro 20, 2018

Contrariando as expectativas cota de FPM frusta gestores Paraibanos.

Resultado de imagem para tota guedes
O Segundo repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) do mês será de R$ 19.933.117.06 valores brutos, partilhado entre as 223 Prefeituras nesta terça-feira dia 20 de fevereiro de 2018. Quando se considera a retenção constitucional do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fundeb), o montante reduz para algo em torno de R$ 12.500.120,00 .
De acordo com os cálculos da Confederação Nacional de Municípios (CNM), em comparação com o montante repassado em 2017, o decêndio será em media 20,00% Menor em termos nominais.
Ou seja , “É hora de pisar no Freio e conter despesas, a crise esta batendo na porta e os gestores precisam de muita cautela. Esse mês é sempre o melhor do ano, e já nos deparamos com esse quadro” ,analisou Tota Guedes Presidente da FAMUP.

Famup

Presidente da Famup, Tota Guedes participa da reunião do Conselho Político na CNM em Brasília

O presidente da Famup, Tota Guedes, encontra-se em Brasília para participar da reunião do Conselho Político da CNM, que definirá o modo de atuação conjunta das Federações Estaduais no Movimento Municipalista dos prefeitos brasileiros.Nessa reunião, segundo Tota Guedes, será definida a pauta de reivindicações do Movimento Municipalista. A direção da CNM orienta os prefeitos brasileiros a negociarem com deputados federais e senadores o apoio à luta dos municípios “Os prefeitos precisam negociar o apoio da bancada federal às reivindicações dos municípios. Sem esse apoio da bancada torna-se difícil a tramitação da nossa pauta no Congresso Nacional”, diz o presidente da Famup, Tota Guedes.Segundo ele, os prefeitos paraibanos têm se mantido unidos e mobilizados e deram várias demonstrações disso, como o encontro que foi promovido na Praça do Meio do Mundo, no ano passado.
 
Créditos Famup PB

Santiago rejeita indicação do PTB para Ministério do Trabalho: “Tenho outros projetos”, disse

O presidente estadual do PTB da Paraíba, Wilson Santiago rejeitou o convite feito pela executiva nacional da legenda para ser o indicado da sigla para o Ministério do Trabalho.
Santiago disse que tem outros projetos eleitorais e uma ocupação de cargo no primeiro escalão inviabilizaria a candidatura.
“É lógico que todos os partidos políticos indicam cargos que de fato estão à disposição dos partidos. No nosso caso eu na verdade tenho outros projetos. Nosso projeto esse ano é disputar a eleição na Paraíba e por ter decidido isso eu não posso participar de disputa para ocupar nenhum cargo do Governo, essa é a grande verdade. Ontem quando fui sondado, me posicionei dessa forma. Acho que o partido deve indicar nomes que não estão com disposição de disputar a eleição de 2018”, disse
créditos blog do ninja