outubro 28, 2018

João acredita que voto silencioso pode garantir vitória de Haddad e prega paz após eleição

O governador eleito da Paraíba, João Azevêdo (PSB), votou pela manhã em uma escola no bairro de Manaíra, em João Pessoa. Em contato com a imprensa, ele disse acreditar que o voto silencioso pode garantir a virada do candidato Fernando Haddad (PT), que já vem registrando crescimento nas últimas pesquisas. O socialista pregou ainda que, independente do resultado da eleição deste domingo (28), a paz possa se fazer presente em todo país.
“É importante que o processo de divisão tão forte que aconteceu seja deixado de lado. O Brasil precisa disso”, declarou.
De acordo com João, o voto silencioso que lhe garantiu a vitória no primeiro turno com uma margem tão grande de diferença para o segundo colocado, pode ser um fator decisivo para garantir a vitória do candidato Fernando Haddad (PT), revelando uma virada no cenário atual. “O voto silencioso fez com que a gente saltasse de 52% (nas pesquisas internas) para 58,2% (resultado da eleição). Esse é o voto do cidadão que não adesiva o carro, não adesiva a casa, mas está consciente, está fazendo a analise”, ressaltou.

João disse ainda que não se pode definir uma eleição entre um candidato contra um partido. Para ele, é necessário analisar o perfil dos dois postulantes e verificar qual o que se encaixa nas aspirações que se quer para o país, porque inevitavelmente um deles será o próximo presidente do Brasil. “O que espero é que tenhamos respeito às instituições e que a nossa democracia seja cada vez mais fortalecida”.

Sobre a relação que pretende manter com o próximo presidente da república, independente do resultado das urnas deste domingo, João disse que não pode esperar outra coisa a não ser uma relação republicana. Ele, no entanto, se mostrou preocupado com declarações dadas pelo candidato Jair Bolsonaro (PSL), afirmando que estados serão tratados de forma segundaria caso ele não tivesse o apoio dos governantes neste segundo turno.

O governador eleito lembrou que a Paraíba já sofre retaliações do do governo federal, por conta das posições políticas do governador Ricardo Coutinho. “Isso é inadmissível”, criticou.

“Espero que muita coisa do que foi dita possa ser repensada, caso o vencedor não seja Fernando Haddad. E se for, não tenho dúvida que a relação será diferente, porque o projeto que ele representa se identifica muito com o nosso projeto”, completou o socialista.

João votou acompanhado da esposa, Ana Maria Lins, das filhas e neto, além de correligionários e amigos. Ao chegar ao local de votação, o governador eleito da Paraíba foi bastante cumprimentado por eleitores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário