Couto compara apoiadores de Cunha e Temer a Judas e 'falso moralistas'

"Os falsos profetas, intitulados como os conhecedores e amigos de Deus, estão adorando dois bezerros de ouro chamados Eduardo Cunha e Michel Temer".

A indignação do deputado federal petista Luiz Couto (PT) em relação à aprovação do pedido de impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff, parece não cessar. De acordo com o parlamentar, a decisão da maioria da Câmara dos Deputados foi "imperdoável" e inflamada pela grande mídia que preferiu ignorar a verdadeira divisão da Nação.
"Os 367 votos demonstraram vergonhosa insensibilidade e um falso moralismo dos que deveriam agir como mandatários do povo, com relação à gravidade de um processo ilegal, inescrupuloso e totalmente eivado de interesses pessoais. É inadmissível ter-se chegado a esse ponto! V.Exas. estão jogando cidadãos contra cidadãos e encravando um punhal nas costas da democracia brasileira! V.Exas. não respeitam a vontade de todos os brasileiros e brasileiras!", disse Luiz Couto.
Ele analisou que o impeachment de Dilma, sem crime de responsabilidade, afronta a a segurança jurídica do voto e a credibilidade das instituições: "Não se pode apequenar a escolha de uma Presidenta da República legitimamente eleita e que não cometeu crime algum, sob pena de apequenarem-se os próprios cidadãos e cidadãs.
Cidadãos e cidadãs, brasileiros e brasileiras, não acreditem nas imagens transmitidas por uma televisão criminosa e antiética, como a Globo. Os falsos profetas de ontem, intitulados como os conhecedores e amigos de Deus, estão adorando dois bezerros de ouro chamados Eduardo Cunha e Michel Temer. Lembrem-se de que, nas escrituras sagradas, Judas andava com Jesus e era responsável pelas finanças e, ainda assim, o traiu por um saco de moedas de ouro".
Para Couto, o placar da Câmara só terá sua gravidade compreendida com o tempo. "A fama histórica e suja de golpistas, traíras e conspiradores não poderá ser retirada das páginas dos livros, das memórias das pessoas, das fotografias e dos registros históricos do dia em que os farsantes e os armadores de complô da vingança de classes e das vaidades ofendidas pregaram seu próprio ódio, suas torturas e intolerâncias ao famigerado povo brasileiro", previu.
O parlamentar lembrou a vontade do povo e disse que vozes das ruas representam o Brasil que pulsa e sangra por um dia melhor. Finalmente, ele citou trecho de artigo do jornalista Mino Carta: "A Casa Grande, como se sabe, não tem voto. Dá Golpe. E se valeram da armadilha regimental montada pelo corrupto Cunha. Essa é uma tragédia nacional sem tamanho, pois todos perdemos. Não é só a Presidenta Dilma ou o Lulopetismo, somos todos nós que perdemos. Esse é o pior golpe que o Brasil sofre", disse.
No encerramento de seu pronunciamento, Luiz Couto enfatizou que, apesar das adversidades, o Partido dos Trabalhadores não vai desistir de construir um Brasil justo e longe da corrupção e dos falsos moralistas.
Da Redação do wscom

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Parlamento terá dia especial no Fórum Mundial da Água

CNM convoca gestores para mobilização no Congresso Nacional nos dias 7 e 8 de agosto

População de Nova Floresta lamenta o falecimento do ex- vereador João Bolinha.