abril 01, 2015

Aesa registra alto índice de chuvas na PB com nuvens que impressionam moradores

Precipitações, apesar de serem intensas em algumas cidades, elas são muito localizadas e como o tempo estava muito seco, as águas são absorvidas pelo solo e não conseguem aumentar o volume de grandes açudes.


Nuvens pesadas impressionaram moradores de Patos
As chuvas do mês de março ficaram acima dos 300 milímetros em pelo menos onze cidades da Paraíba, conforme dados preliminares divulgados nesta terça-feira (31) pela Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa). Mais da metade do número de cidades estão localizadas no Sertão do estado, em especial no Vale do Piancó, e a outra metade, no Litoral. Os números são considerados altos.

Leia mais Notícias no Portal Correio

A cidade onde mais choveu este mês foi João Pessoa, na região do Litoral, que registrou 406 milímetros. No Sertão, os municípios contemplados por São Pedro neste mês de março foram Santa Inês, com 368 milímetros; Sousa, com 361 milímetros; Carrapateira, com 336 milímetros; Igaracy, com 304 milímetros; Coremas, com 303.7 e Emas, com 301.1 milímetros. Apesar das nuvens pesadas mostradas na foto, dados da Aesa apontam que choveu cerca de 160 milímetros em Patos durante o mês de março.

No Litoral, além de João Pessoa, choveu acima dos 300 milímetros também em Cabedelo, registrando 357.8; Alhandra, com 314 milímetros; Mataraca, com 316 milímetros e Itapororoca, com 322,1 milímetros.

A meteorologista da Aesa, Marle Bandeira, informou que as precipitações registradas no estado foram muito localizadas e estão dentro da normalidade, uma vez que é nesse período que normalmente acontecem as chuvas.

No Sertão, a perspectiva é de que elas possam continuar acontecendo até o mês de abril, Já no Litoral do Estado, elas podem prosseguir até maio.

Açudes

Quanto à questão dos mananciais, Marle explicou que, as precipitações, apesar de serem intensas em algumas cidades, elas são muito localizadas e como o tempo estava muito seco, as águas são absorvidas pelo solo e não conseguem escoar para aumentar o volume hídrico dos grandes açudes.

Marle explicou ainda que, para se ter uma ideia de como as chuvas vêm ocorrendo de maneira pontual, basta analisar o volume de chuva detectado no município de Sousa. No distrito de São Gonçalo, por exemplo, o pluviométrico marcou 361 milímetros neste mês. Já na área urbana de Sousa, foram notificados 207.5 milímetros. Uma diferença de mais de 150 milímetros, numa distância de cerca de 20 quilômetros.

Nessas localidades, se continuar com a mesma perspectiva de chuva de março, os mananciais, agora com a terra molhada, podem acumular água que dê para melhorar o volume hídrico. Como no caso do distrito de São Gonçalo, onde se localiza o açude do mesmo nome, em Sousa, e a cidade de Coremas, onde fica localizado o açude de Coremas.

Dados da Aesa mostraram que, com o volume de chuva registrado nas regiões onde esses mananciais estão localizados, mesmo o solo ainda estando seco, houve aumento no nível desses açudes, embora ainda que pequeno.

O açude São Gonçalo, por exemplo, que tem capacidade para acumular 44,6 milhões de metros cúbicos, em fevereiro, estava com 3,7 milhões de metros cúbicos (m³), ou seja, 8,5% da capacidade. Nesta terça-feira (31), o acumulado do açude era de 5,3 milhões de m³, ou seja, 12% da sua capacidade de acumular água. O açude recebeu cerca de 1,6 milhões de m³.

No açude Coremas, que tem capacidade para acumular 567,9 milhões de m³ de água, o volume registrado no mês de fevereiro, foi de 111,8 milhões, ou seja, 19,7% de sua capacidade. Já nesta terça-feira (31), o açude recebeu quase 20 milhões de metros cúbicos e acumula 129,6 milhões de m³, somando 22,8% da capacidade.Chuvas diárias.

Segundo a Aesa, choveu em 65 cidades entre a tarde de segunda-feira (30) e a manhã desta terça-feira (31). A maior precipitação aconteceu no Alto Sertão, no município de Santa Inês, onde foram anotados 64,3 milímetros.

Também foram registradas chuvas significativas em Areia de Baraúnas (58,6 mm), Salgadinho (47 mm), São José de Espinharas (45 mm) e Patos (38 mm). Deve chover nesta quarta-feira no Sertão, mas a tendência é de que os índices pluviométricos sejam menores.

“Não há previsão de chuvas intensas. De modo geral, o sol deve predominar na maior parte do estado. No entanto, a alta concentração de umidade presente no ar associada ao calor deixará o tempo propício à ocorrência com de chuvas isoladas no semiárido, principalmente a partir do final da tarde”, alertou a meteorologista Carmem Becker.

Previsão

A previsão para as próximas horas destas terça (31) e quarta (1º) é de que continue chovendo em pontos isolados do Sertão do estado. Nas outras regiões a previsão é de variação de nuvens.

Quanto à previsão do tempo para o feriado da Semana Santa, a meteorologista Marle Bandeira informou ela será divulgada nesta quarta-feira (1º).Veja o quadro de temperaturas para esta quarta.

Litoral- Sol com variação de nuvens. - Max.: 30°C Min.: 23°C 

Brejo - Sol com variação de nuvens. - Max.: 27°C Min.: 20°C 

Agreste - Sol com variação de nuvens. - Max.: 30°C Min.:21°C 

Cariri - Sol com variação de nuvens - Max.: 33°C Min.: 20°C 

Sertão - Nebulosidade variável - Max.: 35°C Min.: 22°C 

Alto Sertão - Nebulosidade variável - Max.: 34°C Min.: 21°C  

do portal correio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Dezembro Vermelho

Ao longo deste mês, prédios públicos em todo o Brasil ficarão iluminados de vermelho para marcar a luta contra a aids. Além da iluminação, ...