abril 02, 2013

“Orientação da presidente Dilma é pelo fortalecimento das parcerias com estados e municípios”, diz ministro Aguinaldo Ribeiro





O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), destacou que é uma determinação da presidente Dilma Rousseff (PT) a aproximação do Governo Federal dos prefeitos para orientá-los sobre programas e apresentação de projetos para conquista de recursos da União.O ministro paraibano participou, em Campo Grande (MS), da abertura do Encontro Estadual com Novos Prefeitos e Prefeitas.
Aguinaldo Ribeiro falou sobre a seleção do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2) que está aberta até a próxima sexta-feira (05/04), e destacou a importância de bons projetos para que a obra seja feita com qualidade e celeridade.
“Nesta seleção do PAC2 atenderemos municípios com menos de 25 mil habitantes, mas desde que tenham bons projetos. Estamos com nossa equipe técnica à disposição para construirmos bons projetos. Nossa intenção é dar subsídios para que nenhuma prefeitura fique sem condições de elaborar um projeto”, disse ele.
O ministro ressaltou, ainda, a orientação da presidenta Dilma Rousseff de fortalecer as parcerias com estados e municípios. "Temos uma diretriz que se tornou quase uma obsessão, que é a busca dessa parceria, porque ninguém faz nada sozinho. Este governo preza pela participação republicana”, destacou o ministro das Cidades.
Encontros - Os Encontros Estaduais têm como objetivo apresentar aos novos gestores informações sobre os programas e as ações realizadas pelo Governo Federal, em parceria com os municípios. O objetivo é auxiliar prefeitos e prefeitas no acesso aos recursos da União para as cidades, no primeiro ano de mandato. Além do Ministério das Cidades, estavam presentes no evento representantes dos ministérios da Saúde, do Desenvolvimento Social, da Educação, do Desenvolvimento Agrário, da Integração Nacional, do Planejamento, da Secretaria Geral, do Turismo, da Agricultura e da Pesca.

Dilma anuncia R$ 2 bilhões para combate à seca em encontro com governadores


Presidente defendeu adoção de medidas 'estruturantes' de 'durabilidade'



presidente Dilma Rousseff participou nesta terça-feira (2), em Fortaleza (CE), de uma reunião do Conselho Deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), na qual detalhou aos governadores dos estados do Nordeste medidas adotadas pela União para o combate à seca na região.
A presidente defendeu a adoção de medidas “estruturantes” para enfrentar a estiagem que garantam “um nível de segurança hídrica mais apurado, mais efetivo, de grande durabilidade”, disse durante abertura da reunião.

Dilma afirmou que “todos sabem que nos últimos dez anos, o Nordeste cresceu muito mais do que o Brasil”. Para a presidente, a região não pode deixar “escorrer pelo ralo” a riqueza ali produzida.
“Não podemos nos dar ao luxo de investir recursos aqui e deixar que eles escorram pelo ralo quando houver seca. A seca é um realidade, assim como nos países frios do planeta, que convivem com o inverno, vamos conviver com a seca. Mas vamos conviver com a seca com a capacidade de preveni-la e superá-la”, disse.
Apesar de defender ações estruturantes e de longo prazo, Dilma enumerou uma série de medidas emergenciais tomadas pelo governo federal. Segundo ela, serão construídas ainda este ano 240 mil cisternas para consumo humano em todo o nordeste, além de 67 mil cisternas de produção.
A presidente anunciou que o governo federal investirá R$ 2 bilhões para enviar a todos os 1415 municípios nordestinos atingidos pela seca uma máquina retroescavadeira, uma motoniveladora, um caminhão pipa, um caminhão caçamba e uma pá carregadeira. “O municípios mesmo precisam ter instrumentos de defesa”, disse.
O governo já prometeu entregar uma máquina retroscavadeira e uma motoniveladora a todos os municípios brasileiros com menos de 50 mil habitantes.
Plano Safra
Ela disse aos governadores que a União está disposta a elaborar um Plano Safra específico para a região do semiarido, à exemplo do Plano Safra da agricultura empresarial e do Plano Safra da agricultura familiar.
“Nós temos recursos, dinheiro para aumentar e para dirigir e focar aqui na região um plano safra específico para o caso do semi árido e das regiões que são fragilizadas o caso da seca”, afirmou.
O plano de 2012/2013 da agricultura familiar foi de R$ 22,3 bilhões. Já o da agricultura empresarial, foram R$ 115 bilhões em recursos disponibilizados pelo governo.
Carros-pipa
Dilma prometeu aumentar em 30% a quantidade de carros-pipas na região, chegando a 6170 unidades. Atualmente, o abastecimento de 776 municípios é feito por 4746 carros, que são operados pelo Exército.
“Ao mesmo tempo, daremos condições para o Exército melhorar toda sua estrutura logística aqui na região nordestina”, disse a presidente, que prometeu também ampliar a capacitação desse profissionais.
Da Redação do wscom (com G1-CE)
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR