Tribunal de Justiça da Paraíba entrega medalhas na comemoração de 122 anos Desembargador Jovaldo Nunes e os servidores Robson Cananéa e Maria do Carmo Moura foram homenageados

Dentro das comemorações dos 122 anos, o Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) homenageou ontem o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, Jovaldo Nunes Gomes, e os servidores do TJPB Robson de Lima Cananéa (diretor especial) e Maria do Carmo Cândido Moura (gerente de controle interno).
Entrega das medalhas
O desembargador Jovaldo Gomes recebeu a Medalha do Mérito Judiciário da Paraíba na categoria Alta Distinção. A propositura foi de autoria dos desembargadores Frederico Martinho da Nóbrega Coutinho e João Alves da Silva.
Entrega das medalhas
Robson Cananéa e Maria do Carmo Moura receberam a medalha na categoria Bons Serviços, em decorrência dos serviços prestados ao Poder Judiciário estadual. A medalha de Robson Cananéa foi proposta pela presidente do TJ, Fátima Bezerra Cavalcanti. Já a para Maria do Carmo foi apresentada pelo desembargador Abraham Lincoln da Cunha Ramos.
Entrega das medalhas
A solenidade contou com a presença do corregedor nacional do CNJ, ministro Francisco Falcão, o desembargador federal Guilherme Calmon, o senador Vital do Rêgo, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, Marcos Cavalcanti, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Paraíba, Odon Bezerra, o procurador-geral do Estado Gilberto Carneiro, o empresário Roberto Cavalcanti, entre outros.
Durante a homenagem, a presidente do TJPB agradeceu a presença do ministro Francisco Falcão. “Sentimento de gratidão ao ministro Francisco Falcão pela dedicação que tem ao nosso Estado. Nós, magistrados, entendemos que o CNJ tem uma função de orientar na condução dos tribunais para que possamos oferecer a população uma Justiça mais célere, eficiente e completa”, afirmou a desembargadora.
Fátima Bezerra destacou: “O ministro Francisco Falcão tem esse papel de orientador e parceiro das metas para melhor administrar os tribunais do país”. Sobre as homenagens, a presidente disse que o TJPB as presta a pessoas que se destacam pelos relevantes serviços ao Judiciário.
A desembargadora explicou que, para comemorar os 122 anos, o Tribunal selecionou o tema da Infância e da Juventude. “Identificamos que havia uma dificuldade com relação ao processo de adoção no nosso Estado. Foi assim, então, que selecionamos esse tema. Tivemos palestras de desembargadores e de pessoas renomadas ligadas a essa área”.
Ela afirmou que é preciso agir para ressocializar o menor infrator e a sua família e lutar por políticas públicas dentro dos Tribunais em favor da criança e do adolescente.
O presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco agradeceu a homenagem. E ressaltou: “Quero parabenizar esta Corte pelo seu aniversário de 122 anos, distribuindo justiça e contribuindo pela paz social. Sou filho de servidores da Justiça do Estado da Paraíba”.
Durante o seu discurso, Robson Cananéa afirmou: “Com o passar dos anos, aprendemos que há certos valores que são mensurados pelo aqui e agora e encontram a sua verdadeira dimensão em momentos singulares como esse, que enriquece não só a mim, como a minha família e aqueles que comigo construíram essa conquista”.
Ministro destaca importância do tribunal
O corregedor nacional do CNJ, ministro Francisco Falcão, destacou os 122 anos do TJPB. “É extremamente importante estar hoje na Paraíba, em um momento em que o Tribunal completa os seus 122 anos. Esse é um Estado privilegiado, que deu ao país 25 ministros nos tribunais superiores”.
Ele ressaltou: “O TJPB, apesar de ter passado por fase difícil anos atrás, hoje é um tribunal que está purificado, assim como o de Pernambuco. Isso é bom para a Corregedoria, e a sociedade paraibana e pernambucana”. Segundo o ministro, o reconhecimento do trabalho dos que foram homenageados é muito importante.
Francisco Falcão comentou sobre as atividades do CNJ. “Sabemos que o Judiciário brasileiro, em sua grande maioria, é composto por magistrados corretos que cumprem o seu papel republicano. Mas infelizmente temos ainda umas maçãs podres”.
Ele exemplificou: “Um exemplo é o caso do Paraná, onde o CNJ acatando uma proposição do seu corregedor, por unanimidade, decidiu afastar o então presidente. Na próxima semana, estaremos propondo o afastamento do atual presidente do Tribunal de Justiça da Bahia e da ex-presidente do Tribunal”.
De acordo com o ministro, o Conselho está primando para fazer uma limpeza no Judiciário. “Queremos resgatar a imagem antiga que o Judiciário tinha, de ser célere, trabalhador e honesto. É o que a população brasileira exige”.
do portal correio
  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Parlamento terá dia especial no Fórum Mundial da Água

CNM convoca gestores para mobilização no Congresso Nacional nos dias 7 e 8 de agosto

População de Nova Floresta lamenta o falecimento do ex- vereador João Bolinha.