julho 04, 2013

Vacina contra HPV deverá imunizar mais de 67,8 mil meninas de 10 e 11 anos na Paraíba

A Paraíba deverá imunizar 67.873 meninas com idade de 10 e 11 anos contra o papilomavírus (HPV), principal causador do câncer de colo de útero. Segundo o Ministério da Saúde, a vacina estará disponível a partir de março de 2014 na rede pública de saúde. Dados da Coordenação da Área Técnica da Saúde da Mulher, da Secretaria de Estado da Saúde (SES), apontam que nos últimos dois anos 196 mulheres morreram vítimas de câncer de colo de útero na Paraíba. Foram 86 óbitos em 2011 e 110 em 2012. 
A coordenadora da Área Técnica da Saúde da Mulher da SES, Fátima Moraes, explicou que, além de proteger contra o câncer de colo de útero, a vacina também protege contra as verrugas genitais e  contra os vírus 16 e 18, que são os maiores causadores do câncer do colo do útero. “Entendo que a vacina tem um custo alto e acho que o Ministério da Saúde precisou fazer um recorte nessa faixa etária, tendo em vista que a imunização entre as meninas que ainda não iniciaram a vida sexual foi uma escolha baseada em estudos que comprovam a eficácia da vacina em pessoas que ainda não tiveram contato com o vírus, sendo assim acho essa idade ideal, uma vez que a vida sexual das meninas está começando cada vez mais cedo. Mas acredito que no futuro essa faixa etária seja ampliada”, comentou a coordenadora. 
De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina estará disponível em cerca de cinco mil postos, entre escolas públicas e particulares (em forma de campanha) e unidades de saúde, de maneira permanente. A estima é que no Brasil ocorram, em 2013, 17,5 mil novos casos de câncer do colo do útero, que tem como uma das principais causas o HPV. 
A meta do Governo Federal é atingir 80% das mais de 3,3 milhões de pessoas consideradas público-alvo. Neste primeiro momento, serão disponibilizadas 12 milhões de doses apenas para meninas. Com os custos da vacina, serão gastos R$ 30 por unidade, somando R$ 452,5 milhões. 
A vacina será administrada em três doses, e protegerá contra quatro subtipos de HPV: 6, 11, 16 e 18 – os dois últimos são os que causam o maior risco de câncer. Em 70% dos casos de câncer do colo do útero, há vestígio da presença dos subtipos 16 e 18.
A vacinação será feita em meninas nessa faixa etária, em intervalos de dois e seis meses entre a segunda e a terceira doses, respectivamente. De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina não elimina a necessidade do uso de preservativo e da realização do exame papanicolau. Mesmo protegendo contra a maior proporção dos cânceres, não protege 100%. 
Mais dados - Segundo dados do Ministério da Saúde, são registrados, em média, 685,4 mil casos de HPV por ano. O câncer do colo do útero causa 4,8 mil mortes, em média, por ano. Em 2011, foram 5,1 mil óbitos. De janeiro a março de 2013, foram feitas 5,6 mil internações por câncer de colo do útero, com as quais foram gastos R$ 7,6 milhões. A estimativa é que, entre 2011 e 2014, sejam gastos mais de R$ 382 milhões em investimentos na doença. 
A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que haja 291 milhões de mulheres com o vírus no mundo, das quais 32% estão infectadas pelos tipos 16 e 18. Segundo a OMS, estudos mostram que 80% da população feminina sexualmente ativa serão infectadas. No Brasil, a entidade estima que 685 mil mulheres são infectadas anualmente pelo vírus. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Dezembro Vermelho

Ao longo deste mês, prédios públicos em todo o Brasil ficarão iluminados de vermelho para marcar a luta contra a aids. Além da iluminação, ...