julho 30, 2013

Médicos paraibanos realizam mais uma paralisação

Atendimentos de urgência e emergência estão garantidos.

Mais uma paralisação dos médicos acontece nesta terça e quarta-feira, 30 e 31. Segundo informações do Conselho Regional de Medicina, serão suspensos os atendimentos da rede pública e privada apenas pela manhã. Urgência e emergência estão garantidas durante todo o período

A paralisação é um protesto contra o caos dasaúde e as recentes medidas do governo federal. Os atendimentos serão normalizados no período da tarde e os casos de urgência e emergência serão atendidos normalmente por equipes de plantão. As cirurgias eletivas (marcadas previamente), consultas e exames serão suspensos durante o período da manhã e serão remarcadas.
O movimento é nacional e coordenado pelas entidades médicas (Conselho Regional de Medicina, Sindicato dos Médicos e Associação Médica). Os médicos protestam contra as últimas medidas do governo federal, como o programa  Mais Médicos, e os vetos à Lei 12.842 (Ato Médico), que regulamenta a profissão. A categoria não aceita a decisão do governo federal de trazer para o país médicos estrangeiros sem a revalidação do diploma, ou seja, sem realizarem a prova Revalida, que atesta o conhecimento da língua e os conhecimentos adquiridos em universidade que não seja brasileira.
“Não somos contra os médicos estrangeiros. Mas não podemos aceitar a vinda desses profissionais sem revalidação de diploma. Além disso, o problema maior da saúde brasileira não é a carência de médicos, e sim a falta de investimento, gestão e infraestrutura”, destacou o presidente do CRM-PB, João Medeiros.
Na terça (30), os médicos estarão reunidos, a partir das 9h, na sede do CRM. Na quarta, 31, eles se reúnem na Assembleia Legislativa para debater o programa “Mais Médicos” com os deputados estaduais. “Queremos mostrar à população que os médicos estão conscientes do seu papel social e do seu dever como profissional. Não somos responsáveis pela falta de assistência à saúde da população”, completou o presidente do Sindicato dos Médicos da Paraíba, Tarcísio Campos.
 
do wscom

Nenhum comentário:

Postar um comentário