novembro 29, 2012

Impasse no PMDB continua e Antônio de Sousa e Gervásio Maia trocam farpas Presidente afirma que deputado atrapalha o processo e Gervásio rebate: “Não aceito imposição”

Antônio de Sousa e Gervásio Maia: O impasse continua no PMDB (Crédito: Fotomontagem - WSCOM)
O impasse com relação à formulação da chapa que será apresentada na próxima convenção estadual do PMDB parece longe do fim. É que o atual presidente estadual da legenda, Antonio de Sousa, informou ao WSCOM Online que dos 181 cargos que compõem o grupo, apenas um não foi definido, que é o do deputado estadual Gervásio Maia. A informação revoltou o parlamentar. “Ele falta com a verdade”, disse.
Segundo Antônio de Sousa, a chapa definida em reunião na última segunda-feira (26) apontou o ex-governador José Maranhão como presidente, o ex-senador Wilson Santiago como vice-presidente, o deputado Manoel Júnior como segundo vice-presidente, o deputado Gervásio Maia na terceira vice-presidência e o prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rego, como secretário geral.
“A chapa foi apresentada, mas, infelizmente, o deputado não aceitou e tem se mostrado intransigente. Ele escolheu quem quis para colocar na Executiva, Manoel Júnior já cedeu o cargo de segundo vice-presidente para ele e, mesmo assim, ele não quis. Até o senador Vitalzinho aceitou ficar como vogal para ele entrar na chapa e, novamente, ele não aceitou. Então está difícil esse entendimento”, comentou Antônio de Sousa.
O problema em questão seria o cargo de secretário geral, segundo na escala de importância na Executiva. Gervásio Maia estaria interessado em ocupar o cargo que acabou ficando para Veneziano Vital.
Segundo Antônio de Sousa, o deputado não tem motivos aparentes para não aceitar o cargo de vice-presidente. “Ele será o único com direito a três votos em convenção, pois, é deputado estadual, líder de bancada e será membro da Executiva, quando até o presidente José Maranhão e o vice-presidente, o ex-senador Wilson Santiago, terão direito a apenas um voto”, explicou.
Gervásio Maia cobra paridade de poderes entre as chapas
O deputado estadual Gervásio Maia disse que o presidente Antônio de Sousa falta com a verdade. Segundo ele, uma reunião realizada no último domingo (25), na residência do ex-governador José Maranhão, ficou acertado que os nomes da chapa seriam definidos consensualmente em reunião com toda a cúpula peemedebista na segunda-feira, na sede do Diretório Estadual.
Durante a reunião foram definidos consensualmente os nomes dos membros do Diretório Estadual, inclusive, com as presenças dos 58 prefeitos eleitos, e dos delegados do Diretório Nacional. O problema, segundo Gervásio, começou na hora de montar a executiva do partido que são 13 nomes. Na ocasião, Maranhão tirou do bolso os nomes que ele gostaria, apresentando o próprio nome, e os nomes dos deputados Benjamin e Olenka Maranhão, além do nome do atual presidente Antônio de Sousa.
“O ex-governador sacou a lista pronta do bolso, sem promover a discussão desses nomes como fez com os outros cargos. Portanto, ele quebrou a palavra e o acordo firmado conosco no domingo” disse Gervásio.
Paridade na Executiva
O deputado Gervásio Maia ainda cobra a paridade na composição da Executiva do partido. Segundo ele, os cargos devem ser definidos de forma igual entre as alas que apoiam Maranhão e Wilson Santiago. “Essa chapa é impositiva. É preciso sentar e alinhar o entendimento”, comentou.
Ele nega também que esteja interessado em ocupar a secretário geral, concedido a Veneziano, mas cobra que o segundo cargo de importância da Executiva seja entregue a alguém do grupo que apoia Wilson Santiago. “Não faço questão de estar na chapa, muito menos tenho rejeição ao nome de Veneziano, que, aliás, deveria ter sido escolhido como presidente. Essa era a hora dele. O que defendo é o fortalecimento do partido, com a participação de todos, e não que Zé Maranhão traga a sua chapa pronta”, disse.
Fora da chapa
Por fim, o deputado ainda negou que tenha sido escolhido como terceiro vice-presidente como informado por Antônio de Sousa. “Mais uma vez o presidente faltou com a verdade. O escolhido para a terceira vice-presidência foi o deputado Wilson Filho, que se sentiu constrangido e abriu mão do cargo para indicar o meu nome. Tenho o direito de defender uma chapa proporcional e não reconheço essa que foi imposta pelo ex-governador”, disse.
Gervásio Maia ainda informou que aguarda a convocação de uma nova reunião para que seja discutido os 13 nomes da Executiva Estadual do PMDB. Até o momento, a cabeça da chapa está definida da seguinte forma:
Presidente: José Maranhão
Vice-presidente: Wilson Santiago
2º vice-presidente: Manoel Júnior
3º vice-presidente: Wilson Santiago Filho
Secretário Geral: Veneziano Vital do Rego
Secretário Geral Adjunto: Raniery Paulino
Tesoureiro: Antônio de Sousa
Tesoureiro Adjunto: Olenka Maranhão

do
WSCOM Online







Nenhum comentário:

Postar um comentário