abril 18, 2012

DESABAFO - após votação do Fisco, Ricardo Marcelo ratifica independência do Poder Legislativo e manda recado: “Não me submeto a chantagens”

 


Um dia após a polêmica votação sobre o subsídio do Fisco e o mal estar gerado perante o executivo estadual, o presidente da Assembléia Legislativa da Paraíba resolveu engrossar o discurso e em um tom duro avisou que não vai se curvar a interesses contrários a Casa de Epitácio Pessoa.

O discurso do presidente foi proferido logo no início da sessão de onde presidia a abertura dos trabalhos. Reafirmando a independência do poder legislativo da Paraíba, o tucano mandou o recado: “Gostaria de avisar que não admito qualquer tipo de extorsão, pois alguém que usa os veículos de comunicação para explorar esse tipo de atitude pensando que a Casa vai se curvar a quem quer que seja está enganado. Aqui ninguém se curva a ninguém”, avisou.

Ainda em um tom ríspido, o presidente da ALPB fez questão de destacar que o poder legislativo é um poder independente e harmônico e que trabalha de forma a se relacionar pacificamente com os demais poderes. “O poder é independente e é harmônico e quer se envolver pacificamente com todos os poderes desta forma e isso eu tenho propagado e feito ao longo da nossa gestão”, ressaltou. ‘ Ricardo Marcelo ainda lembrou que a Mesa Diretora da Casa buscou incansavelmente um consenso entre os representantes do Fisco e do Governo do Estado antes que a votação fosse a plenário.

“Fiz o possível para que chegássemos a um acordo e assim evitar o confronto no plenário das matérias votadas ontem. Corri um sério risco de ser colocado de forma irresponsável porque nós não votamos quase 300 matérias por conta dessas reuniões para ver se chegaríamos a um acordo, mas não foi possível, nós tentamos, mas não foi possível. A Mesa Diretora fez o possível para conseguir um acordo, mas não deu”, completou.

PRESIDENTE ATÉ 2015

Ricardo Marcelo ainda deixou claro que é presidente do Poder Legislativo até o ano de 2015 e que, portanto, não terá medo de qualquer tipo de perseguição.

“Não tenho medo de perseguição, não tenho de retaliação. Sou presidente até 2015 e até lá vou gerir o poder legislativo como ele merece e deve ser respeitado”, falou,

Sem citar nomes, o presidente finalizou o discurso fazendo um apelo pela harmonia entre os poderes.

“Eu quero é que eles entendam o sacrifício do nosso poder, pois aqui nós não estamos defendendo ninguém e não estamos tirando o direito de ninguém. Mas o nosso direito também precisa ser respeitado”, concluiu.

O discurso de Marcelo foi atentamente ouvido por todos os deputados presentes. Governistas e oposicionistas apenas escutaram e não fizeram nenhuma objeção as palavras do tucano.

Com informações de Henrique Lima

do PB Agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Dezembro Vermelho

Ao longo deste mês, prédios públicos em todo o Brasil ficarão iluminados de vermelho para marcar a luta contra a aids. Além da iluminação, ...