novembro 11, 2011

Juazeiro do Norte-CE: Resgate pela liberação de empresário paulista foi pago a seqüestradores no aeroporto


O seqüestro de um empresário paulista que já se estendia por quatro dias, teve o desfecho entre o sertão da Paraíba e a região do Cariri na madrugada desta sexta-feira. O pagamento do resgate foi feito por um policial de São Paulo no Aeroporto Regional do Cariri, em Juazeiro do Norte, se passando por familiar da vítima. José Franco Bueno, mais conhecido como Zé Bueno, de 54 anos, é empresário do ramo imobiliário no município de Bragança Paulista e estava desaparecido deste a tarde de segunda-feira.
Ele foi visto pela última vez por volta das 14 horas daquele dia e não apareceu em casa deixando a família desesperada. Um primeiro contato de Zé Bueno com sua residência se deu por volta das 4 horas da madrugada de terça-feira avisando sobre o seqüestro e informando que estava bem e longe de casa. Na verdade, o empresário havia sido atraído por uma pessoa que se dizia interessada em comprar um imóvel de sua propriedade.

O mesmo saiu dirigindo sua camionete Mitsubishi L200 de cor preta e placas DSN-7970, inscrição de Bragança Paulista, já com outro indivíduo sem imaginar que fossem seqüestradores. O crime foi anunciado pela dupla que obrigou Zé Bueno a seguir viagem já vendo os dois exibindo armas. O caminho foi na direção do Nordeste, com revezamento ao volante do carro, até chegar ao município de Ibiara localizado no Vale do Piancó (PB) na madrugada de quarta-feira.
A região faz fronteira com Mauriti no Cariri cearense. Não demorou e os seqüestradores trataram de negociar o valor do resgate com a família do empresário. Conforme o combinado, o dinheiro foi pago na madrugada desta sexta-feira no aeroporto de Juazeiro momentos após o desembarque de um policial paulista no vôo da Gol com uma sacola. Ele ligou para o celular do seqüestrador que aguardava o pagamento do resgate e este apontou suas características para viabilizar o encontro.



O dinheiro, cujo valor não foi repassado para a Imprensa, só foi entregue quando o PM que se passava por parente da vítima conversou com o empresário por telefone. Na Paraíba os comparsas entregaram o carro ao empresário e informaram como chegar ao Posto Papai Noel no município de Milagres às margens da BR-116. Foi lá que familiares se encontraram com Zé Bueno, pois vieram na aeronave uma nora, um genro e três policiais paulistas.

Estes fizeram o percurso de taxi entre Juazeiro e Milagres e, depois, todos retornaram a Juazeiro a fim de tentarem o embarque de volta para São Paulo o que já aconteceu. Segundo o PM paulista, o cativeiro em Ibiara era em frente a um escritório de advocacia um dos poucos detalhes observados pelo empresário. Ele disse mais que o indivíduo a quem entregou o dinheiro é moreno e de cabelo carapinado o qual já está sendo procurado na Paraíba. Os dois primeiros atendem pelos nomes de “Josimar” e “Dinho”.
O repórter Normando Sóracles do Site Miséria conversou com o empresário Zé Bueno a quem deu de presente uma estátua de Padre Cícero. A vítima deu alguns detalhes desses quatros dias do seu seqüestro vindo parar na região do Cariri.
(OUÇAM) www.miseria.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário