abril 28, 2011

Ricardo confirma aumento da água; “Não é possível viver num mundo sem reajustes”

Governador espera que população compreenda os motivos para o reajuste

O governador Ricardo Coutinho (PSB) confirmou na manhã desta quarta-feira, 28, o reajuste da tarifa de água no Estado. Há cerca de dois anos que a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) não alterava os valores cobrados pelo metro cúbico da água. O reajuste anunciado é de 16,93%. Segundo o governador, o aumento ajudará a empresa a encontrar o equilíbrio financeiro e oferecer um serviço mais de qualidade.

"Passar dois anos sem ter reajuste, por causa das eleições que ocorrem a cada dois anos e não cobrar as contas de água, para mim é um crime contra a empresa. Ela corre risco de sucumbir, de entrar a falência”, acusou o governador.

Ainda segundo Ricardo Coutinho, a Cagepa arrecada mensalmente 65% das suas receitas só em João Pessoa, mas distribui grande parte desses recursos para as outras mesorregiões do Estado que são deficitárias. “É o chamado subsídio cruzado, ou seja, se não fizéssemos isso, a grande maioria dos ambientes de abastecimento d’água estaria funcionando sem o equilíbrio financeiro necessário para operar”, disse.

Entendimento

Ricardo Coutinho disse que espera que a população entenda as razões do governo para o reajuste da tarifa de água. Segundo ele, o aumento é necessário, pois ajudará a empresa a encontrar o equilíbrio financeiro para que seja possível oferecer uma prestação de serviço mais ágil e de qualidade, além de destinar recursos para o investimento em projetos que facilitem o acesso dos paraibanos à água.

“Acho que a população compreenderá (o reajuste). Se fosse possível viver num mundo sem reajuste, aí seria bacana. Mas, como não é possível, qualquer empresa, principalmente as públicas, precisam ter equilíbrio e o que estamos fazendo é apenas aliar a inflação passada com os custos da empresa para que a Cagepa possa ser cobrada a realizar um serviço mais eficaz”, comentou.

Tarifa social

O governador Ricardo Coutinho lembrou ainda que o reajuste de 16,93% não atingirá as famílias beneficiadas pela Tarifa Social. Essas mesmas famílias terão uma diminuição no valor da taxa de esgoto. O percentual que atualmente é de 25% do valor da conta, cairá para 10%.

“A Tarifa Social está congelada e a taxa de esgoto da Tarifa Social nós vamos reduzir. O que seria 25% passará a ser 10%. As classes mais carentes não pagarão esse reajuste”, concluiu.

do wscom

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Dezembro Vermelho

Ao longo deste mês, prédios públicos em todo o Brasil ficarão iluminados de vermelho para marcar a luta contra a aids. Além da iluminação, ...