fevereiro 17, 2011

Ricardo reage e diz que "Estado não vai ficar refém de chantagem ou terrorismo"




O governador Ricardo Coutinho (PSB) assegurou, nesta quinta-feira (17.02), que o Estado não vai se dobrar a chantagem ou a atos de terrorismo. Ele se referia aos incidentes ocorridos na noite desta quarta (16), quando um policial civil atirou para o alto nas arquibancadas do estádio Amigão, durante o jogo pela Copa do Brasil entre São Paulo e Treze. "Quem transitar fora da lei vai responder pelo atos", avisou o governador.

As declarações foram dadas por Ricardo pouco antes da reunião com o ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra, na manhã desta quinta-feira (17.02). "O que vimos é algo muito grave. Ninguem pode entrar num estádio armado. Isso foi possivelmente articulado num motim dentro de um quartel para levar pânico à população e aos torcedores paraibanos que saíram de casa para ver o jogo que foi transmitido para todo país", disparou.

O governador cassificou como "lamentável" o incidente. "Ninguém ache que vai intimidar o Governo. Quem transitar fora de lei, vai responder por isso. Nem eu nem o Governo vamos permitir chantagem ou terrorismo. Não se pode entrar armado num estádio e disparar visando a balbúrdia e o pânico e criar uma situação que não existe na prática", disse.

Segundo o governasdor, na Segurança Pública, se os crimes continuam a acontecer, a resposta tem sido dada diariamente, com a prisão de quadrilhas que assaltam bancos e combatendo a violência. "O que não pode é que três ou quatro pessoas querem semear pânico e terrorismo. A mídia precisaria contribuir para levar tranquilidade ao povo. Ninguém pode semear o pânico e o caos. O Estado não vai fabricar dinheiro porque três ou quatro pessoas que estavam no Governo passado querem semear a discórdia", afirmou.


do hermes de luna

Um comentário:

  1. terrorismo quem está fazendo com os servidores e de maneira especial com a segurança é o governador,que de maneira fascista se coloca acima do bem e do mal.Cadê aquela pessoa que no passado apoiavam os movimentos sindicais?A questão policial é falta de vontade política por que já estamos acostumados por parte de governos empossados com essa tática de terra arrasada.

    ResponderExcluir