janeiro 05, 2011

FARPAS NA POLÍCIA II: Major Fábio comenta posicionamento do sargento Dênis contra PEC 300 e diz que não entregará suplência para Rosas

O deputado federal, Major Fábio (DEM), durante entrevista ao Portal PB Agora, na manhã desta quarta-feira (5), revelou que está arrependido de ter votado em Ricardo Coutinho para governador. Na ocasião, ele também comentou que não abre mão da 1ª suplência na Câmara para Edvaldo Rosas e que atitude do secretário executivo da Administração Penitenciária, sargento Dênis (PV), de sair em defesa do governador e dizer que o Estado não pode pagar a PEC 300, faz parte de seu papel como funcionário.

“Qualquer pessoa que pesquisar no google na internet vai ver Ricardo Coutinho dizendo, na época da campanha, que ia pagar a PEC 300. Na verdade eu estou muito triste com o governador, me empolguei com aquele discurso que iriamos dá um grande salto na Paraíba. Acredito que o grande salto foi no escuro, os comissionados pais de família a metade foram colocados para fora. Peço desculpa aos policiais por ter votado em Ricardo Coutinho”.

Em tom de desabafo o deputado comentou o jeito de trabalhar do atual governador. “Ricardo é muito duro e duro com as pessoas. Eu queria que ele fosse duro para cumprir a lei para valorizar os policiais, os professores, os profissionais da saúde. Ele gosta de apertar o cinto. Quero ver mostrar serviço pagando a PEC 300”.

Major Fábio explicou porque considera o aumento dos policiais um projeto justo. “O Ministério Público entrou com uma ação para cancelar o projeto de lei que aprovado pela Assembleia Legislativa da Paraíba. O problema é que a justiça da Paraíba não tem urgência segundo o Conselho de Magistratura. Mas está previsto no orçamento do Estado, é uma emenda do deputado estadual João Gonçalves (PSDB)”.

Já com relação ao sargento Denis, o deputado disse entender sua atitude de apoiar o Governo do Estado na decisão de não pagar o aumento da polícia. “Ele é funcionário do governador e eu sou advogado da polícia. Deus queira que Denis preste um bom serviço para o Estado”.

A suplência da Câmara

O major Fábio disputou à reeleição, mas não conseguiu ganhar. Agora, com o remanejamento está na 1º suplência e caso abra mão entrega a vaga ao presidente do PSB, Edvaldo Rosas. Fábio disse que isso é uma coisa impossível de acontecer. “Eu não dependo de Ricardo. A 1º suplência não é minha é dos policiais e bombeiros. Eu não vou ceder a suplência para ninguém. Uma articulação para puxar Edvaldo Rosas, isso jamais. Não vou fazer isso nunca, ele poderia me oferecer até a presidência da república”.

do pbagora

Nenhum comentário:

Postar um comentário