março 01, 2010

Maranhão assina contrato para obras na Paraíba e alfineta ‘mentalidade arcaica’ de adversários


O governador José Maranhão (PMDB), no ato de assinatura de um protocolo de intenções para instalar 19 empresas na Paraíba,além de um contrato para a conclusão da primeira etapa do Centro de Convenções do estado, afirmou que estes projetos são modernos e vão contribuir com a melhoria do estado. Ele criticou “lideranças jovens”, sem citar seus nomes, que, segundo ele, têm a mentalidade arcaica e não aceitam projetos novos.

“Não se mede a juventude de alguém pela cor dos cabelos ou pela idade, mas pelos projetos que apresenta. Como uma pessoa pode ser contra o viaduto que vai passar pelo Rio Jaguaribe, uma obra moderna que vai beneficiar João Pessoa? Essas pessoas deveriam buscar uma forma de ajudar a cidade, contribuir com a melhoria, e não ficar dizendo que não é a favor de algo só por picuinhas”, disparou.

Maranhão disse ainda que continuará realizando obras e que vai manter a busca por verbas e projetos. “As pessoas se dizem modernas, mas ficam lutando contra os projetos modernos, como o Centro de Convenções e o viaduto. São pessoas jovens, mas ficam com pensamentos arcaicos, antigos”, criticou.

Comentando o ‘Encontrão das Oposições’ que acontece no Hotel Tambaú, Maranhão ironizou o discurso de reconstrução da Paraíba defendido pelo bloco. “Como um grupo que destruiu a Paraíba pode falar em reconstrução?”, questionou. Ele acrescentou ainda que não se sente isolado, já que mantém a base de sustentação na Assembleia Legislativa o apoiando. “Veja os deputados do PSB? Migraram para outras bases por não concordar com a postura adotada pelo partido”,alega o governador.

Ainda sobre as composições de chapa, Maranhão disse que não está sendo cogitada a possibilidade de o deputado Rodrigo Soares ser o seu vice. “A decisão só vai acontecer se os outros partidos quiserem que aconteça”, concluiu.


do wscom

Veneziano diz que oposições perderam a credibilidade


O prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rego (PMDB) disse nesta segunda-feira (1º) que as oposições ao Governo do Estado perderam a credibilidade e a confiança dos eleitores, porque mudaram de lado.

Em entrevista ao programa Correio Debate, da Rádio 98/FM (Rede Correio Sat), Veneziano Vital disse que só no dia 20 de março anunciará a sua decisão sobre sair, ou não, da Prefeitura de Campina Grande, para concorrer a um cargo majoritário nas eleições deste ano.

A certa altura, o prefeito de Campina Grande disse que se porventura não sair para compor a chapa do governador José Maranhão, do seu partido, não haverá prejuizo porque terá o mesmo empenho pela vitória do esquema da situação.

do portal correio

Vitalzinho defende aprovação do projeto ‘Ficha Limpa’

O deputado federal Vital do Rego Filho (PMDB-PB) defendeu, durante discurso na Câmara Federal, a aprovação do projeto denominado de ‘Ficha Limpa’, que proíbe a candidatura de pessoas com condenações judiciais em primeira instancia a cargos eletivos.

Ele afirmou que a corrupção “há séculos vem assolando o nosso país e corroendo a estrutura do Estado e, consequentemente, as instituições democráticas”.

Para Vitalzinho, a corrupção “é endêmica, sistêmica, perversa e compromete de maneira concreta o futuro de gerações de brasileiras e brasileiros”. Ele citou o recebimento, por parte do Congresso Nacional, de mais de 200 mil assinaturas de apoio ao projeto.

“O nosso país, e eu digo isto envergonhado e ao mesmo tempo revoltado, ocupa lugar de destaque no cenário nacional no ranking dos países mais corruptos do mundo, conforme pesquisas da ONG Transparência Internacional”, disse.

Vital citou as denúncias de corrupção no governo do Distrito Federal e citou que, além dos “mensaleiros e sanguessugas, hoje os propineiros se enraizaram na Capital federal, comprometendo o funcionamento do parlamento local”.

Segundo Vitalzinho, o Distrito Federal “deveria dar o exemplo de dignidade na administração pública, seja ela por proximidade ao governo federal, seja o distrito federal por receber cota de emenda constitucional para pagamento de seus gastos com saúde, educação e segurança”.

Reforma processual – Vitalzinho conclamou o Congresso Nacional a promover a reforma processual “que reduza os recursos e incidentes protelatórios na Justiça, de modo a acabar com a impunidade; e as reformas político-eleitorais, especialmente quanto ao financiamento de campanhas”.

Ele declarou que, desde a época de vereador em Campina Grande, tem atuado de forma a combater a corrupção. “Minhas proposições legislativas e meus pronunciamentos foram sempre contra a corrupção, contra esta praga que infecta o Estado brasileiro”.

Para ele, a prevenção e o combate à corrupção “passam pela educação do povo e adoção de práticas que valorizem a ética, a transparência e incentivem a lisura nas ações”.

Vitalzinho defendeu o envolvimento das escolas no processo de construção da cidadania e disse que, para alguém exigir seus direitos e exercer seus deveres, é necessário, primeiro, conhecê-los.

“Conhecer e acompanhar a administração pública, em todas as suas nuances, é inerente ao exercício coerente da cidadania. Com acesso facilitado às informações (transparência) é possível o controle da sociedade sobre a gestão pública”.

O deputado finalizou o discurso disendo que, quando se fala em política, as pessoas traçam uma relação direta entre ela e a corrupção, remetendo imediatamente a uma sensação de repulsa.

“No caso da política, a atitude deveria ser de afastamento e o impedimento de voltar a vida política. Para isso necessitamos urgência na aprovação do projeto ‘ficha limpa’, que será, sem dúvida, o pontapé inicial de combate a corrupção”.

do portal correio

TRE arquiva ação de Cícero contra Ricardo


O juiz Newton Vita, do Tribunal Regional Eleitoral, arquivou a ação movida pelo senador Cícero Lucena (PSDB) contra o prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB), acusado de crime de difamação e injúria durante o guia eleitoral do dia 8 de setembro de 2008. O arquivamento foi pedido pelo Ministério Público Eleitoral.

As palavras proferidas por Ricardo contra Cícero foram as seguintes: "Gervásio foi um condutor de um processo onde a Prefeitura saiu de uma situação falimentar, de falência. Só de cheque sem fundo circulando na praça no dia primeiro de janeiro de dois mil e cinco, tinha um milhão e setecentos e trinta e dois mil reais. Não é pouca coisa”.

“Depreende-se do texto que não houve ofensa pessoal ao Representante. A íntegra da degravação confirma que em momento algum foi feito, sequer, menção ao nome ou à pessoa do senador Cícero Lucena”, disse o juiz Newton Vita.

Ele explicou que a tipificação dos crimes de injuria e difamação exige, além do dolo genérico, “o dolo específico, consubstanciado na vontade deliberada de atingir a honra subjetiva da vítima, no primeiro caso, e a honra objetiva, no segundo caso”. Segundo o magistrado, não foi emitido nenhum juízo de valor ofensivo à imagem do senador Cícero, “mas comentários atinentes à administração da prefeitura de João Pessoa”.


Do Lana Caprina