dezembro 21, 2010

Ricardo alerta equipe: para permanecer tem que cumprir meta e dar resultados

Ao confirmar as indicações de mais uma leva de novos secretários que vão compor a sua equipe de governo, a parti de 1° de janeiro, o governador eleito da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), deixou um recado claro para aqueles que vão formar o primeiro escalão administrativo: permanecerão na equipe aqueles que mostrarem competência, cumprirem metas e oferecerem resultados.

Na entrevista que concedeu no Escritório de Transição (Canal 40), em João Pessoa, a partir das 16 horas, Ricardo Coutinho confirmou os nomes que já havia anunciado por volta das 13 horas, pelo twitter.

No seu discurso, foi enfático: “O governo todo vai ter essa lógica: cada um de nós sabendo que o que nos garante são as metas alcançadas, o respeito a coisa pública. E perceber que este é o momento de criação de uma nova hegemonia política formada por forças diferenciadas, mas que tenham uma convergência, para que esse projeto de renovação possa se estabelecer”.

A certa altura, o governador eleito disse que “os únicos que têm estabilidade no governo, mesmo assim temporária, são Rômulo Gouveia, vice-governador” e ele próprio, porque foram eleitos, “mesmo assim só por quatro anos”.

Sobre as nomeações que o atual governador José Maranhão (PMDB) fez hoje, de servidores da Saúde e agentes penitenciários, o governador eleito Ricardo Coutinho concordou com a interpretação de um jornalista que o interpelou, de que são uma tentativa de inviabilizar a futura gestão.

Disse o governador eleito ao ser questionado a respeito: “Acho que sim. Costumo não ter muita papa na língua. Porque, evidentemente, alguém que passou no poder por tanto tempo descobre faltando nove dias para deixar o governo que precisa nomear aumentando uma folha de pessoal que já chega a 57% da receita corrente líquida. Qualquer pessoa de bom senso chegaria a conclusão de que esse não é o momento ético de fazer qualquer contratação. Se a Justiça mandou, poderia esperar nove dias para o novo governador assumir”.

E acrescentou ele: “Se eu sei que nas penitenciárias está faltando alimentos, que nos hospitais falta medicamento, como é que eu vou fazer a nomeação de centenas de pessoas para a Saúde e Segurança, afora aquelas que já estão fazendo curso para ingressar?. Infelizmente, essa é uma conduta que considero temerária aos interesses da população”.

Alerta
Durante a entrevista, o governador eleito Ricardo Coutinho alertou a população e pediu a atenção da Imprensa para o que está acontecendo na Cagepa e outros órgãos do Estado, para que coisas graves não venham a ocorrer. “Olhem para o que está acontecendo na Cagepa; olhem para as disputas estabelecidas dentro daquele órgão, que está numa situação extremamente delicada; olhem para o que está acontecendo na Administração Penitenciária; olhem para o abastecimento que se vislumbra para penitenciárias, hospitais e outros locais em que o poder público é responsável pelos que estão ali dentro”.

Ricardo apelou: “Peço a observação criteriosa da Imprensa, para que problemas maiores não venham ocorrer dentro do Estado, prejudicando quem mais precisa, que pode ser qualquer parente de pessoa nossa que possa estar nos hospitais, presídios e outros órgãos que o Estado tenha".

do portal correio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Dezembro Vermelho

Ao longo deste mês, prédios públicos em todo o Brasil ficarão iluminados de vermelho para marcar a luta contra a aids. Além da iluminação, ...