agosto 24, 2010

Roberto pede a Lula inclusão de projetos da PB no Orçamento 2011

O senador Roberto Cavalcanti (PRB) defendeu nesta terça-feira (24) a inclusão de recursos na Lei Orçamentária 2011 para construção de ramal da transnordestina na Paraíba, operando em conjunto com o porto de águas profundas, em fase de estudos no município de Lucena. O pedido feito no plenário do Senado Federal foi direcionado ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


O parlamentar antecipou que entendimentos neste sentido já foram iniciados entre o governador José Maranhão e o ministro dos Transportes, Paulo Sério Passos.

“O governador ouviu em julho do ministro dos Transportes a promessa de realização dos estudos necessários para levar a Ferrovia até a Paraíba”, revelou Cavalcanti, informando que o levantamento indicará o potencial de exportação de minérios e produtos da hortifruticultura do Nordeste.

De acordo com o parlamentar, o transporte de minério de ferro nessa região demandou investimentos de 1,3 bilhões de reais este ano por parte da Companhia Siderúrgica Nacional.

“Isso representa mais de um terço dos 3,4 bilhões que serão gastos nessa Ferrovia em 2010”, comparou.

“Se vamos fazer o porto, é imperativo que a Ferrovia chegue até ele, inclusive para o transporte eficiente de minério de ferro e de outros produtos da Paraíba e da região Nordeste”, acrescentou Roberto Cavalcanti.

“É de extrema importância para o Estado a implantação do Porto de Lucena e a sua conexão à Ferrovia Transnordestina”, insistiu o senador, para quem esses empreendimentos darão “partida a um pólo de desenvolvimento na Paraíba”.


O Porto

O senador informou que o Governo do Estado já contratou a empresa que fará os estudos de batimetria necessários à implantação do Porto de Águas Profundas da Paraíba. Segundo ele, o novo porto acolherá demandas que são inviabilizadas pelas limitações naturais do porto de Cabedelo.

“Mesmo após as obras de derrocagem, sua profundidade não ultrapassará os onze metros, insuficientes para os navios de 70 mil toneladas ou mais, que exigem portos com treze metros de profundidade para atracar”, ilustrou o parlamentar, informando ainda que Cabedelo é um porto antigo (tem mais de cem anos) e, apesar de sua modernização, apresenta ainda problemas de estrangulamento logístico.

“Cabedelo enfrenta dificuldades para o armazenamento de mercadorias. Essa é uma das razões pelas quais 21% dos produtos importados e exportados pela Paraíba passam pelo Porto de Suape, em Pernambuco”, explicou.

Cavalcanti antecipou que a construção do novo porto escoará minério do Rio Grande do Norte e também das recém-descobertas jazidas de Cajazeiras, no interior da Paraíba.

“Além disso, o Porto de Lucena está de acordo com a concepção defendida pelo próprio Governo Federal, quanto à necessidade de construção de um porto a cada 300 quilômetros na costa brasileira”, acrescentou.

Cavalcanti disse ainda que o novo porto, com projeto de 17 metros de profundidade e uma grande proximidade da Europa, dos Estados Unidos e da África, já despertou o interesse de empresários nacionais e estrangeiros.

“Isso significa a possibilidade de aporte de recursos privados à construção do Porto, requisito importante para a viabilização dessa obra”, finalizou.




Da assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário