Elegível: AMB diz que Cássio pode disputar eleições

Elegível: Associação dos Magistrados Brasileiros diz que Cássio pode disputar as eleições 2010


O juiz Mozart Valadares, presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, disse em entrevista à Rede Bandeirantes de Televisão que os três ex-governadores Jackson Lago (MA), Cássio Cunha Lima (PB) e Marcelo Miranda (GO) são elegíveis para as eleições deste ano.
- Transitou em julgado a sentença deles e eles cumpriram a pena. Ao meu sentir, eles estão habilitados a disputar a eleição. Você não pode aplicar duas penas pelo mesmo ilícito – justificou o magistrado.
Entenda:
Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou a cassação do mandato do governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB) no dia 17 de fevereiro de 2009.
Ele foi acusado de abuso de poder econômico e político na eleição de 2006, por ter distribuído mais de 35 mil cheques, num total de R$ 3,5 milhões, a eleitores do estado. No julgamento, os ministros não aceitaram o recurso apresentado pelo governador contra a decisão do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) que já havia cassado o mandato do governador.
A ação foi movida pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB). Com a decisão, o segundo colocado na disputa, o senador José Maranhão (PMDB), assumiu o cargo, pois o vice de Cunha Lima, José Lacerda Neto (DEM), também foi cassado.
Com a decisão, também foi cassada a liminar concedida pelo TSE para manter o governador no cargo até o julgamento final pelo Tribunal. Assim, Cunha Lima teve que deixar o governo assim que foi publicado o acórdão. " Houve pedido expresso de votos em troca dos cheques "
O procurador eleitoral Francisco Xavier considerou que houve uso promocional e eleitoral do programa assistencial da Fundação de Ação Comunitária (FAC) e classificou a distribuição de cheques de descalabro:
- Houve pedido expresso de votos em troca dos cheques
O relator, ministro Eros Grau, considerou que houve "largo e franco" abuso do poder econômico e uma conduta "abusiva tentatória à normalidade":
- Não há qualquer dúvida de que o candidato cometeu abuso de poder e econômico e que há vínculo do governador com a distribuição do dinheiro.
Os sete ministros do TSE, entre eles o presidente da Corte, Carlos Ayres Britto, votaram pela cassação. No julgamento, o advogado Eduardo Ferrão, que defendeu Cunha Lima, disse que o governador é alvo da "mídia coronelista da Paraíba, que tenta desconstruir a imagem de seu cliente, vítima de uma perseguição covarde, cruel e infame". " Ele não participou disso, não entregou cheque algum "
Cássio foi o primeiro governador a implantar a lei do nepotismo. Ele incomoda a elite oligárquica. Ele não participou disso, não entregou cheque algum. É preciso respeitar um governador que recebeu mais de um milhão de votos. Cassá-lo significa dizer ao povo que sua vontade não foi respeitada.
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) entendeu que o governador teria entregado cheques de R$ 1 mil a R$ 56 mil, inclusive a pessoas ligadas ao governo, como autoridades do primeiro escalão da Casa Civil e de secretarias de governo. Esses recursos teriam sido usados para pagar despesas como prestações de TV a cabo e planos de saúde.







Redação do pb agora com Paraíbaonline

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Parlamento terá dia especial no Fórum Mundial da Água

CNM convoca gestores para mobilização no Congresso Nacional nos dias 7 e 8 de agosto

População de Nova Floresta lamenta o falecimento do ex- vereador João Bolinha.