abril 14, 2010

Wilson Braga e Mário Borba apoiam ampla renegociação das dívidas dos agricultores do NE


A Bancada do Nordeste realizou nesta quarta-feira, 14, café-da-manhã para discutir a dívida agrícola dos produtores nordestinos. Estiveram presentes parte dos deputados federais da região do Nordeste; o presidente da Federação da Agricultura Pecuária da Paraíba, Mário Borba; a coordenadora da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (FETRAF), Elisângela Araújo; o secretário de política agrícola da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG), Antoninho Rovaris, e o vice-presidente executivo da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Fábio de Salles Meirelles.
Antes de fazer referências á renegociação da dívida agrícola, Mário Borba defendeu que haja abertura de créditos rurais específicas para o Nordeste, uma vez que a região tem peculiaridades como uma grande parte do território no semiárido e enfrenta diversidades climáticas como secas e enchentes.
Borba defendeu a renegociação da dívida ao afirmar que o ideal será reabrir todos os prazos que já venceram, justificando que a origem do endividamento agrícola dos nordestinos vem desde a década de 90, quando houve seis anos de seca, e dessa época até agora já se enfrentou nove secas e três inundações na região, inclusive com a previsão de estiagem para este ano.
O deputado Wilson Braga (PMDB/PB), que se fazia presente no encontro da Bancada Nordestina, disse que “o agricultor nordestino acumulou a dívida agrícola de tal forma que seria bastante grande para ser paga, o que justifica uma ampla renegociação com os devedores inadimplentes, mesmo que o Ministério da Fazendo já tenha aceitado a anistia da dívida dos agricultores da região que contraíram empréstimos de até R$ 10 mil.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário