abril 27, 2010

Cresce a violência contra a mulher na Paraíba

A violência contra a mulher vem aumentando diariamente na Paraíba. Do mês janeiro deste ano, até esta terça-feira (27), quinze mulheres foram vítimas de homicídio em todo o Estado, além de outros tipos de violência. Somente nesse mês de abril foram registrados quatro homicídios.

Na manhã desta terça-feira (27), uma adolescente de 17 anos foi encontrada morta no município de Itapororoca, a 36 km de Guarabira. Segundo os familiares da vítima, Daniela Joaquim de Oliveira saiu de casa, na noite desta segunda-feira (26), para ir ao colégio. Colegas informaram que a jovem teria deixado a escola em companhia do namorado, que está foragido.

Daniela de Oliveira, que residia no bairro do Cruzeiro, foi atingida com um tiro nas costas. O corpo da vítima foi localizado nas imediações do sítio Açudes. A polícia está à procura do suspeito.

Outros casos

Em João Pessoa, no início do mês, a adolescente Amanda Galdino da Silva, de 14 anos, foi assassinada com vários tiros que lhe atingiram a cabeça, as costas e braços. A vítma ainda tentou fugir da ação dos assassinos, correndo e pulando os muros de algumas residências, mas não teve êxito e acabou sendo morta com vários disparos. O crime aconteceu no Alto do Mateus. Um dos acusados de assassinar Amanda Galdino da Silva, um adolescente de 17anos, foi detyido esta semana pela polícia.

O outro caso é o da estudante Aryane Thaís Carneiro de Azevêdo, de 21 anos. Ela foi encontrada morta na manhã do último dia 15, dentro de um matagal, vítima de estrangulamento, às margens da BR 230. No bolso da calça da vítima foi encontrado um exame positivo de gravidez. Antes da confirmação da paternidade, o estudante do curso de Direito, Luís de Araújo Neto, de 23 anos, ex-namorado de Aryane, foi apontado como o principal suspeito do crime. Mesmo depois de comparecer à Delegacia de Polícia e prestar depoimento espontânemente foi detido e continua preso na sede da Central de Polícia, na Capital.

Um exame de DNA realizado pelo Instituto de Polícia Científica e divulgado no último final de semana confirmou que o estudante de Direito Luís de Araújo Neto é o pai da criança de quem Aryane Thaís Carneiro de Azevêdo estava grávida.

Passados cinco dias do assassinado de Aryane Carneiro, outra mulher foi morta, também por estrangulamento, em João Pessoa. Desta vez, no bairro do Altiplano do Cabo Branco. A vítima foi adriana Santos Magno, de 31 anos. O corpo da vítima foi encontrado dentro de um terreno baldio. Até agora, a polícia não conseguiu prender o responsável pelo crime.

E na noite desta segunda-feira (26), por volta das 22h00, outra mulher foi vítima da violência. Andréia Guedes Ferreira, de 26 anos. Ela foi atingida por dois tiros de revólver nos braços, quando estava com o namorado, Adriano Rodrigues, em fente de casa, no Conjunto Alto das Populares, no município de Santa Rita.

De acordo com informações da polícia, os disparos foram feitos por um motoqueiro que já chegou em frente à casa da vítima atirando. O namorada de Andréia, Adriano Rodrigues não sofreu ferimentos. Ela foi socorrida para o hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, onde foi atendida pelos médicos de plantão e já recebeu alta. A polícia ainda não sabe que efetuou os disparos contra Andréia Guedes.

Balanço do Hospital de Trauma

Deram entrada nesta segunda-feira (26), no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, Josenílson da Silva, de 34 anos. Ele foi vítima de arma de fogo, no Centro da cidade; Andréa Guedes Ferreira, de 26 anos, também vítima de arma de fogo, desta vez no município de Santa Rita; Mais quatro pessoas vítimas de acidente de moto; uma por acidente com bicicleta; Wellington Rodrigues de Lima, de 22 anos, vítima de paulada, no município de Alhandra; e uma vítima de agressão.


do portal correio

Nenhum comentário:

Postar um comentário