abril 29, 2010

Cícero e Roberto discutem no Senado banda larga sem fio


Os senadores paraibanos Cícero Lucena (PSDB) e Roberto Cavalcanti (PRB) lideram no Senado as discussões sobre a banda larga sem fio no Brasil. Os dois se reuniram na última terça-feira (27) com o presidente da Anatel, Ronaldo Sadenberg, para cobrar agilidade do órgão no assunto.

Operadoras de celular e empresas de TV por assinatura disputam a tecnologia Wimax, que permite a oferta deste tipo de banda larga, até agora, não liberada pela Anatel.

Por conta disso, o Senado criou grupo de trabalho para acompanhar o assunto. O presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, Flexa Ribeiro (PSDB-PA), criou um grupo de trabalho para acompanhar a consulta pública da Anatel para um novo regulamento para o MMDS, que conta com a participação de Cícero e Roberto. A proposta prevê reduzir de 190 para 50 o total de canais reservados ao serviço. A Neotec, associação que representa as empresas de MMDS, propôs à Anatel a redução para 90 canais.

Disputa

A discussão sobre o uso da faixa de frequência de 2,5 GHz (gigahertz) para acesso a banda larga sem fio se arrasta há vários anos na Anatel.

A demora da agência em regulamentar o uso da faixa e em certificar equipamentos está inserida no contexto da disputa entre as operadoras de TV por assinatura que não usam cabo (como a Sky) e as empresas de telefonia móvel por mais espaço no espectro de faixas de frequência. Quem tiver mais espaço tem condições de oferecer mais serviços a mais clientes, como acesso a internet em alta velocidade.

Caso seja aprovada a proposta da Anatel em consulta pública, as TVs perderão 140 MHz até 2015. Hoje, elas dispõem de 190 MHz. As frequências são "avenidas" por onde as TVs fazem circular seus sinais.

As operadoras móveis, por meio de sua associação, a Acel, pressionavam a Anatel para ficar com 140 MHz das TVs fechadas que, para elas, estariam subutilizados. Enquanto isso, o tráfego em suas redes vem dobrando a cada ano e, segundo elas, haveria risco de colapso, caso novas frequências não fossem liberadas. A proposta da Anatel ainda será submetida a consulta pública.

portal correio com a Folha de São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Dezembro Vermelho

Ao longo deste mês, prédios públicos em todo o Brasil ficarão iluminados de vermelho para marcar a luta contra a aids. Além da iluminação, ...