fevereiro 22, 2010

O PTB chama o feito à ordem



Por Radomécio Leite


João Pessoa – A carta de Carlos Dunga ao deputado Armando Abílio comunicando que não deseja mais ser o vice em uma possível coligação com o PSB, foi o mote crucial para o que o PTB, leia-se Armando, saísse da asfixia e pudesse ficar livre, zerando assim o jogo pra 2010 como foi revelado. Não é difícil de entender. Armando que é candidato a reeleição, não tem recebidos os afagos desejados, e ver o seu mandato ameaçado de ser engolido por outros postulantes que estão atuando no seu reduto eleitoral, como Arthur Cunha Lima, Rômulo Gouveia, Edvaldo Rosas, Benjamim Maranhão, até Hugo Wanderley saiu lá de Patos pra fechar dobradinha com Tião Gomes que é de Areia, cidade vizinha a Esperança, que é onde reside Armando. Outro calo é ter que ver o seu principal rival Arnaldo Monteiro trazer pro terreiro de casa o democrata Efraim Filho da mesma base pra rachar voto dentro de Esperança. Deduze-se que Armando contava com Ricardo Coutinho para rever essa estratégia dos federais e contornar esses avanços para não ver cair por terra a sua cadeira lá em Brasília.
Armando agora ta com a faca e o queijo. Como mesmo adiantou, o PTB está livre para voar, podendo então negociar apoios de modo a garantir sua reeleição, e o PTB garantir apoio para a reeleição Maranhão. È como diz o ditado: Uma mão lava a outra, e as duas lava os pés.

O que falta em Ricardo, sobre em Maranhão

É nesse traquejo político que o pesebista ta sofrendo pra danar, sofrendo defecções, tendo que a essa altura perder tempo em contornar conflitos ora pequenos, ora grande, que nem sempre é possíveis resolver, e o desembocadouro é sempre lamentável para quem perde.

Outros problemas a vista

Anotem: PP de Enivaldo Ribeiro e PDT de Damião Feliciano vão adotar o mesmo modus operandi do PTB de Armando e Dunga.

Arrependidos

Tem muita gente que migrou para o PSB, que hoje entende perfeitamente a razão pela qual Carlos Batinga, os Gadelhas, Nada Palitot, Léo Abreu, Deoclécio Moura (Taperoá) deixaram a legenda. Inaldo Leitão, Ricardo Barbosa, Carlos Dunga e Armando reclamam da falta de atenção do comandante Ricardo Coutinho, falta telefonemas de feliz natal, feliz aniversário e por ai vai...é pouco mais é importante o tato com as pessoas.

Encontrão a vista

A tradicional Festa de Padroeiro São José, na minha querida São José de Caiana, que possui nessa época de chuvas, característica de inverno europeu em pleno sertão, poderá reunir Maranhão, Cícero e Ricardo no altar de São José.

Entre os parlamentares, Iraê Lucena e Benjamim Maranhão que são os deputados do grupo de Gildivan Lopes, e do prefeito Walter Marsicano ambos do PMDB, todos os anos participam do ensejo festivo e religioso. Ainda poderão está Wilson Santiago e o seu primogênito, Wilson Filho além de Wellinton Roberto que ta andando muito.

Enquanto que a oposição poderá trazer para festa Antônio Mineral que tem assiduamente participado todos os anos e Rui Carneiro pela primeira vez estará na cidade. Este confirmou a coluna via twitter sua presença no ensejo.

Já os socialistas Dedeca e Ronildo (PSB), poderão trazer Edvaldo Rosas e Edmilson Soares para apresentar ao público caianense.

Quem também poderá pintar na cidade é o deputado estadual Raniery Paulino, além de Toim da loja, Itaporanguense que deseja disputar uma vaga na ALPB.

Será o lugar com a maior quantidade de políticos por metro quadrado. A data da festa será nos dias 12, 13, 14 de Março e o editor da coluna vai está lá para depois contar tudo que aconteceu inclusive quem arrematou galinhas e bois mais caros no famoso leilão de São José.

Guia eleitoral do PSB

Quem assistiu ao guia eleitoral do PSB em rede nacional na noite de ontem, viu um Ciro Gomes muito zen como sempre foi, cuidado nas palavras, sem ataques a base aliada. Apresentou ao Brasil os sucessos dos governadores nordestinos Eduardo Campos (PE), Cid Gomes (CE) e Wilma de Farias (RN), deixando nas entrelinhas que esse modelo pode servir para o Brasil. Esse foi o recado dado por Ciro. Em outro momento, Ciro fez referência ao estado de São Paulo, onde dizia “Esse estado cresceu com os nordestinos, trabalhadores”, deixando escapar que pode mesmo ser candidato ao governo Paulista.

E na bola?

Na bola amigo, peço licença ao professor Reudesman Lopes, comentarista exímio desse assunto, conhecedor da história do Atlético, para dizer da tristeza de ver o Atlético caindo pelas tabelas, sem vencer em casa, perdendo para Queimadense, goleado pelo Esporte de Patos. Sinto falta do Atlético de outros certames, onde dentro do perpetão os adversários temiam o poder alvi-azulino, e já sabiam que a parada ali era osso. Diferente de hoje, Botafoguenses fazem chacota de mim na capital quando digo que sou Atleticano.

O Atlético é um patrimônio de Cajazeiras e precisa ser mais valorizado.

Agora vão os abraços do colunista aos antenados com a coluna:

Abraços para o primo Benga lá em Maceió; para Mazinho de Ermeto e Neguinho de Louro lá em Serra Grande; Para os vereadores Marcos de Chico Dezinho e Dvani Leite em São José de Caiana; Dedeca e Ronildo em São José de Caiana; Aos Cajazeirenses Thiago Kesley e Djanielson em João Pessoa; Para os jornalistas Luis Torres, (PB1) Onivaldo Junior (WSCOM), Gutemberg Cardoso (CORREIO SAT); Nena Martins jornalista e vereadora em Conceição; Carlos Castro (Paraiba7); Alexandre Braga, ex-prefeito de Conceição; Francinaldo, ex-vereador e vice-prefeito de São José de Caiana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário