janeiro 07, 2010

Grupo de jornalistas testemunha a reconstrução da Saúde na Paraíba


Caravana visita obras do Governo do Estado

em Campina Grande, Patos, Pombal e Cajazeiras



Um grupo de jornalistas de vários órgãos de imprensa paraibanos iniciou na manhã desta quarta-feira (6) uma série de visitas às obras do Governo do Estado em Campina Grande e outras cidades do interior. A primeira parada foi no Empório Paraíba, no município de Gurinhém. No novo Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, o secretário de Estado da Saúde, José Maria de França, e o titular da Superintendência de Obras do Plano do Desenvolvimento do Estado da Paraíba (Suplan), Gilson Frade, garantiram que os campinenses e seus visitantes terão a unidade de saúde em pleno funcionamento no ?Maior São João do Mundo?. Já foram concluídos 90% das obras.

O grupo também visitou o Hospital Regional de Patos Janduhy Carneiro e a Maternidade Peregrino Filho no mesmo município. Na cidade de Pombal, os jornalistas conheceram o Hospital Senador Ruy Carneiro. No sábado (9), a visita será ao Hospital Regional de Cajazeiras.

Inaugurações em 2010 ? A reconstrução da rede hospitalar da Paraíba, iniciada em 2009 com intervenções em vários hospitais que funcionavam precariamente, deve ganhar impulso neste ano de 2010 com a conclusão e entrega de 15 obras paralisadas há mais de sete anos.

As mudanças beneficiam diretamente mais de 3,3 milhões de paraibanos ou 90% da população do Estado que dependem do Sistema Único de Saúde (SUS). Doze hospitais ? que já foram orçados, licitados ou tiveram serviços iniciados ? já contam recursos garantidos de mais de R$ 214,9 milhões e a maior parte desse dinheiro está saindo dos cofres do Governo do Estado.

Além dessas obras, estão também em recuperação outros hospitais da rede estadual, a exemplo do Trauma de João Pessoa, Regional de Cajazeiras e Hospital Regional e Maternidade de Patos.

Emergência e Trauma de CG ? O Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, que deverá ser entregue até março deste ano, será o maior do Estado. Com área construída de 22 mil metros quadrados (o equivalente a quase três campos de futebol), a unidade será referência para cerca de 1,9 milhão de paraibanos, mais da metade da população do Estado. Só na obra estão sendo investidos em torno de R$ 50 milhões, além de aditivo recente de mais de R$ 3 milhões. Outros R$ 55 milhões serão aplicados em equipamentos.

Quando o atual governo assumiu a obra em fevereiro de 2009, haviam sido investidos R$ 16,4 milhões, sendo quase R$ 9 milhões do Ministério da Saúde. O projeto do novo hospital prevê 242 leitos, sendo 180 para internações, 30 de UTIs pediátrica, adulto e de queimados; 26 de observação na emergência e urgência e seis no isolamento. Na emergência, haverá clínicas médicas, cirúrgicas, ortopédicas e traumatológicas; mais pediatria traumatológica, oftalmologia, otorrinolaringologia, neurologia e buco-maxilar-facial.

O centro cirúrgico será dotado de seis salas de cirurgias e sala de recuperação com sete leitos. A unidade ainda contará com sala de pequenas intervenções, centro de diagnóstico, laboratório de análises clínicas, farmácia e manipulação, serviços gerais, oficinas, necrotério e velório, posto de resgate e heliponto.

Regional de Patos ? O Hospital Regional Janduhy Carneiro, em Patos, passou por uma reforma na urgência e emergência, ganhando um novo pronto-socorro e um projeto de humanização, que organiza a assistência na unidade, levando em conta, principalmente, o risco de vida. Foram investidos cerca de R$ 300 mil na obra. A unidade é pólo de atenção para 45 municípios da região. A reforma incluiu a construção de um hall de acesso, sala de acolhimento e sala de serviço social. Também foram comprados novos equipamentos a exemplo de macas, respiradores, monitores, desfibrilador e outros. A cozinha do hospital também passou por reforma.

O Acolhimento com Classificação de Risco implantando na unidade faz parte da Política Nacional de Humanização (PNH). Para implantá-lo foram necessárias mudanças físicas, capacitação e sensibilização de todos os profissionais do hospital, especialmente do setor de urgência e emergência. A classificação de risco funciona já na porta de entrada, com a triagem dos pacientes, dando prioridade aos casos de emergência (risco de morte). Após a primeira avaliação, o paciente recebe uma pulseira colorida (vermelha, amarela, azul ou verde), que determina o nível de risco de morte ou gravidade de cada usuário e o fluxo de atendimento.

Maternidade Peregrino Filho ? O Governo do Estado está investindo mais de R$ 14,2 milhões na conclusão da Maternidade Peregrino Filho, em Patos. A obra foi iniciada em 2002 e ficou paralisada nos últimos anos. Hoje, a maternidade não atende gestantes de alto risco, porque não possui unidade de terapia intensiva. As mulheres grávidas da região que precisam de cuidados especiais são transferidas para outras cidades, como João Pessoa e Campina Grande. Além da conclusão da reforma e ampliação do prédio, serão implantadas duas UTIs, uma neonatal e outra materna.

A maternidade funciona atualmente com cerca de 70 leitos. Depois de reformada serão 112 leitos. Além da conclusão interna das UTIs, bloco cirúrgico e internação, serão contemplados ainda os serviços de construção do necrotério e casa de lixo, de mais duas salas de cirurgias, acesso lateral para pedestres e carros de abastecimento, alimentação de gás, rampa de acesso aos pavimentos, acomodação para médicos e enfermeiros na UTI neonatal, além de toda a urbanização externa, inclusive a recuperação da murada. A ordem de serviço foi assinada em 23 de novembro.

Centro de Hemodiálise de Patos ? Nessa unidade, que faz parte do Complexo Hospitalar Janduhy Carneiro, foi construída uma nova sala para comportar mais cinco equipamentos adquiridos, somando um total de 20 máquinas de hemodiálise distribuídas em quatro salas, atendendo 60 pessoas por dia. Também foi aberta uma nova sala, toda reestruturada, munida de equipamentos de ponta para o tratamento da água usada durante o processo de hemodiálise, para maior segurança dos pacientes renais. Foram investidos cerca de R$ 50 mil na reforma.

Regional de Pombal ? Após a conclusão da reforma e ampliação, o Hospital Senador Ruy Carneiro, em Pombal, será a unidade hospitalar de referência da 13ª região geo-administrativa do Estado, criada pela Lei 8.779, sancionada em abril de 2009. O Governo do Estado retomou a obra no dia 11 de dezembro passado, que estava paralisada desde 2002. Os serviços não interferem no funcionamento do hospital.

Atualmente, o hospital funciona com 63 leitos, incluindo os da maternidade, e passará a ter 91 (nove para observação, 71 para internação, dois para pré-parto, três para isolamento e seis para UTI), depois da reforma. O hospital ganhará também uma UTI, um laboratório de análises clínicas, centro de imagem e bloco cirúrgico, além da reforma de toda a área de serviços, que funciona precariamente, incluindo lavanderia, cozinha e almoxarifado.

O Governo do Estado está investindo quase R$ 15 milhões nessa unidade hospitalar de Pombal, sendo R$ 8,9 milhões em equipamentos e R$ 5,7 milhões nas instalações físicas. O hospital atende moradores de Pombal e de outros municípios da região, como Vista Serrana, Paulista, São Domingos, Cajazeirinhas e São Bentinho.

Regional de Cajazeiras ? O Hospital Regional de Cajazeiras passou por um processo de recuperação para que pudesse atender a população do município e da região, que estava recorrendo a serviços de outras cidades, como Campina Grande e João Pessoa. A unidade tem capacidade para 150 leitos, mas apenas 40 estavam funcionando até o início deste ano. Hoje, já são 136 em atividade e em breve todos estarão à disposição da população.

A Maternidade Doutor Deodato Cartaxo, que integra o hospital, também foi beneficiada com uma reforma na estrutura física, incluindo teto (que tinha infiltrações), instalações hidráulicas e elétricas, troca de portas e janelas, pintura e recuperação de leitos e equipamentos. A reforma possibilitou a ampliação de leitos de 17 para 23. A intervenção no hospital (mais precisamente na UTI) e maternidade custou em torno de R$ 100 mil.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) está implantando o Centro de Hemodiálise, em um prédio anexo ao hospital. Estão sendo investidos em torno de R$ 200 mil na instalação do serviço, que será o primeiro de Cajazeiras, e evitará que os doentes renais precisem se deslocar para outro município, em busca de assistência. Confira abaixo, as unidades hospitalares que o Governo do Estado estará inaugurando em 2010.



Hospitais que devem ser entregues em 2010



UNIDADE
Equipamentos
Previsão da obra (R$)
Previsão valor total

1. Hospital Clemetino Fraga
10.388.277,19
9.303.274,72
R$ 19.691.551,91

2. Hospital de Trauma de CG
55.000.000,00
44.342.677,84
R$ 99.342.677,84

3. Hospital Regional de Itabaiana
4.976.278,12
2.052.811,26
R$ 7.029.089,38

4. Hospital Geral de Queimadas
5.466.622,83
614.526,67
R$ 6.081.149,50

5. Hospital de São Bento
4.970.642,40
3.625.000,00
R$ 8.595.642,40

6. Hospital de Pedras de Fogo
4.970.642,40
3.571.429,00
R$ 8.542.071,40

7. Hospital de Itapororoca
3.917.874,67
657.350,59
R$ 4.575.225,26

8. Hospital de Belém do Brejo do Cruz
800.000,00
1.247.144,20
R$ 2.047.144,20

9. Hospital Regional de Taperoá
6.854.910,08
3.971.458,89
R$ 10.826.368,97

10. Maternidade Peregrino Filho, em Patos
9.445.453,73
4.806.654,94
R$ 14.252.108,67

11. Hospital Regional de Pombal
8.935.970,67
5.788.412,81
R$ 14.724.383,48

12. Hospital Regional de Monteiro
10.893.626,40
4.130.817,25
R$ 15.024.443,65

13. Hospital de Picuí

2.310.174,44
R$ 2.310.174,44

14. Hospital de Sumé

1.870.152,54
R$ 1.870.152,54

15. Hospital de Mamanguape
Projeto em elaboração

TOTAIS
126.620.298,49
R$ 88.291.885,15
R$ 214.912.183,64





Da Assessoria de Imprensa da SES-PB, com fotos de Mano de Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário