junho 18, 2009

Governo anuncia o lançamento do Itinerarte, novo projeto de incentivo à cultura

O Governo do Estado – através das Secretarias de Educação, Subsecretaria de Cultura, Secretaria de Comunicação e Superintendência de A União - anunciou, nesta quarta-feira, o lançamento do Itinerarte, o novo projeto de incentivo à cultura paraibana. A principal meta do projeto é promover a interiorização da cultura, de modo a valorizar ainda mais os artistas da terra e dar maior visibilidade aos novos talentos nas áreas de literatura, artes plásticas, teatro, dança, cinema e demais manifestações artísticas, tanto eruditas como populares.

Além dos grandes pólos como João Pessoa e Campina Grande, o projeto irá percorrer as principais cidades da Paraíba para promover e divulgar espetáculos teatrais e circenses, exposições de artes plásticas, mostras de cinema e vídeo, feiras de livros e lançamento de autores locais, apresentação de violeiros e grupos folclóricos, mostras de artesanato e shows em praça pública com artistas da terra.

“O Itinerarte oferece a rara oportunidade de levar aos paraibanos a pujança da arte, da música erudita, tão bem difundida pela Orquestra Sinfônica da Paraíba, ao singelo pastoril do interior, em uma só programação que representa uma visão plural do nosso potencial artístico, da nossa história, das nossas tradições e, principalmente, da nossa capacidade no fazer cultural que já deu ao Brasil, inclusive, nomes reconhecidos internacionalmente”, ressaltou o governador José Maranhão.

Maranhão salientou que o seu governo jamais será negligente com a cultura, levando em consideração o papel histórico desempenhado pela Paraíba, através de expressões do passado e do presente, como Pedro Américo, Augusto dos Anjos, José Américo de Almeida, Tomás Santa Rosa, José Lins do Rego, Antonio Dias, Flávio Tavares, Sivuca, Zé e Elba Ramalho, Jackson do Pandeiro, Chico César, Linduarte Noronha e Ednaldo do Egypto, entre outros artistas.

Uma das novidades do projeto, informou ainda o governador, é a utilização de um ônibus especialmente equipado para funcionar como uma redação de jornal, no qual serão produzidas as reportagens sobre as ações promovidas pela caravana. “Trata-se de uma verdadeira onda que vai movimentar e integrar as diversas manifestações artísticas, sintonizando o público com o que de melhor a Paraíba realiza no campo da cultura”, observou o governador.

O Itinerarte surgiu no âmbito dos debates sobre os 60 anos do Correio das Artes, suplemento literário de A União, envolvendo a Superintendência do jornal, a Secretaria de Educação e Cultura, a Subsecretaria de Cultura, a Secretaria Institucional de Comunicação Social e a Fundação Casa de José Américo. “A iniciativa é fruto de um esforço institucional conjunto em prol de nossa cultura”, destacou Maranhão.

A Secretaria de Educação e Cultura não economizará esforços no sentido de proporcionar ao Itinerarte, no âmbito de sua competência, todos os meios necessários para que o projeto alcance os seus objetivos. A garantia foi dada pelo secretário Sales Gaudêncio, aliado de primeira hora do Itinerarte. “A cultura paraibana há muito necessitava de uma iniciativa dessa natureza, voltada para a promoção e a divulgação dos nossos artistas”, acentuou.

O subsecretário de Cultura do Estado, Flávio Tavares, comentou que o Itinerarte significa o estabelecimento de uma conexão mais forte entre o mundo das artes e o público, em toda a Paraíba, cuja expansão, na atualidade, carece do elo aglutinante representado pelos órgãos da administração pública, sob o comando do governador José Maranhão, que, através desse projeto, reafirma seu compromisso com a cultura de sua terra.

“Quero parabenizar toda a equipe de A União, destacando o Correio das Artes, que teve a oportuna visão de oferecer ao Governo do Estado e à Secom um projeto da magnitude e importância do Itinerarte”, comentou a jornalista Lena Guimarães, secretária estadual de Comunicação Institucional. “Tenho certeza que o projeto vai conquistar as mentes e os corações das populações por onde a caravana passar. Da nossa parte, terá todo o apoio”, completou.

O jornalista Nelson Coelho, superintendente de A União, também manifestou seu entusiasmo para com o Itinerarte, sublinhando que o projeto funcionará como uma espécie de extensão do próprio Correio das Artes, que, historicamente, já projetou incontáveis talentos, além de divulgar inumeráveis novidades na esfera cultural, recebendo, por isso, o elogio e o reconhecimento de figuras exponenciais da intelectualidade brasileira.

UBAM defende prorrogação de mandatos e eleições gerais em 2012


O presidente da União Brasileira de Municípios, Leonardo Santana, defendeu hoje a apresentação de uma PEC para que sejam prorrogados os mandatos dos atuais governadores, senadores, deputados estaduais e federais, e convocadas eleições gerais para 2012, com mandato de seis anos para todos os cargos eletivos, inclusive dos prefeitos.


Segundo Leonardo, a realização de eleições de dois em dois anos tem dificultado a gestão pública e mudado significativamente o foco administrativo, tanto dos prefeitos como dos governadores, evidenciando assim uma espécie de manutenção de um clima eleitoral permanente, com a estagnação das ações da administração pública e a descontinuidade da gestão.



“Interessante é que, assim que se termina de contar os votos de uma eleição para prefeito, já se começa a desenhar a próxima eleição para governador e deputados, e então tudo começa a andar a passo de tartaruga, buscando-se apenas os interesses político-partidários e as ascensões pessoais”. Disse Leonardo.

Para ele, se convocadas eleições gerais para 2012, os atuais governadores, prefeitos e membros do legislativo, terão mais tempo para pensar na administração e desligarem-se dos acordos eleitorais, o que vai consideravelmente melhorar o desempenho e a governabilidade.
Leonardo garantiu que vai apresentar, através da bancada municipalista no congresso, a PEC de 2012, para que seja colocada em votação.


Se for aprovada na Câmara e no Senado, naturalmente vai favorecer o presidente Luiz Inácio da Silva (PT), os governadores, os deputados federais e os deputados estaduais, que terão mais dois anos de mandato, porém isso será muito positivo para a administração pública que vem sofrendo nesse processo de descontinuidade administrativa por conta dos processos eleitorais num pequeno espaço de tempo.


Na opinião do presidente da UBAM, Lula tem um apoio popular muito forte e a economia se destaca com índices elevados de crescimento, demonstrando que a prorrogação do mandato dará ainda mais chance para que o presidente possa dar continuidade ao seu projeto a frente do governo.



Jornalista Ana Paula Souza

Da Redação UBAM

www.ubam.com.br


--------------------------------------------------------------------------------

Cássio promete disputar em 2010 (BLOG DO GEOVALDO)


Ele acorda às 7 horas, prepara o café e, mochila nas costa, caminha 12 minutos até a escola onde passa dia. Almoça entre professores em restaurantes de comida rápida em Cicinnatti. À tarde retorna, não raro, com dever de casa a cumprir, como numa imersão repentina na sua vida de estudante em Campina Grande, cidade que governou por três mandatos e, consagrado, dela saiu para administrar o estado por duas vezes. Sim estamos falando do ex-governador Cássio Cunha Lima, que conta, nesta entrevista exclusiva ao Blog do Geovaldo, sua rotina nos Estados Unidos. Não, não! Se o leitor espera que a conversa entre no varejo da política, tipo “quem apóia quem”, é melhor parar.

A abordagem é sobre a figura humana, suas conquistas, suas perdas, suas expectativas sobre o momento e o futuro. Ver-se-à um Cássio reflexivo, falando de sua vida pessoal, exaltando Silvia, sua mulher pela formação dos filhos,que dificilmente seguirão os passos do pai, enveredando pela carreira política. Mas, igualmente, um Cássio determinado, garantindo que estará no pleito de 2010 para se “submeter ao julgamento soberano do povo paraibano”, porque, como se autodenomina nesta própria entrevista, é e sempre será um determinado. A entrevista a seguir:

- Já está com inglês afiado? Além da língua, está se aprimorando mais em quê?

Cássio Cunha Lima - Completei o primeiro mês de aula esta semana. Pouco tempo ainda para quem tinha, como eu, apenas uma pequena base de inglês. A metodologia do curso é boa. Tenho aulas de segunda-feira a sábado , e creio que até o final terei melhorado bastante. Tenho, ainda, procurado conhecer o sistema de gestão dos americanos, com especial olhar para segurança publica. Em breve, após dominar melhor o inglês, pretendo fazer um estudo especifico sobre água e meio ambiente em uma das grandes universidades daqui.

- Como é seu dia-a-dia nos Estados Unidos ?

CCL - Acordo todos os dias às 7 horas. Preparo meu café no próprio quarto do hotel e saiu para a escola às 8:30 min. Vou caminhando. São 12 minutos de caminhada. Às 9 horas começa a aula que vai até às 16 horas , com um intervalo pela manhã e um outro a tarde. O almoço é na companhia dos professores em um dos inúmeros restaurantes de comida rápida existentes em Cincinnatti. A cidade é agradável e tranquila. Mas os sinais da crise são visíveis aqui. Muita gente pedindo dinheiro na rua , casas abandonadas e prédios invadidos nos bairros periféricos. Mas fico apenas na parte central da cidade que é absolutamente segura.

- Cássio, você desde a juventude, o destino lhe jogou nas mãos responsabilidades políticas. Deputado mais novo da Constituinte de 1986. De lá para cá inúmeros mandatos, inclusive duas vezes governador. Como é acordar hoje como um simples estudante?

CCL - Olha, tem sido maravilhoso voltar a viver como estudante. É tempo de aprendizado , amadurecimento e crescimento pessoal. Mochila nas costas , livros , cadernos e até dever de casa. Uma volta ao tempo. Renasce em meu coração sentimentos e emoções que estavam guardados ha muitos anos. Lembro-me do meu caminho da Solon de Lucena para o Regina Coeli . Recordo-me dos bons tempos do Colégio São Vicente de Paula no Rio. Vem forte a lembrança a época boa da universidade e o período inesquecível na nossa UEPb.

- A sua carreira política é exemplar. Sempre que disputou o voto teve a chancela popular. Isso tem um custo. Na sua vida pessoal, houve perdas em decorrência dessa trajetória?

CCL- As perdas na vida pessoal são sempre inevitáveis na minha atividade.Perdas com a família e a convivência com os verdadeiros amigos. Diogo, Marcela e Pedro são filhos maravilhosos. Mas não pude acompanhar o crescimento deles como desejava. É um déficit emocional profundo e irreparável. Silvia teve um papel fundamental na formação de cada um deles. Agradeço a Deus pelos filhos que tenho, pela família que possuo. Somos todos muito unidos, sentimos amor um pelo o outro e isso é para sempre.

- Na família Cunha Lima, a política é tradição. Na família Cássio, quando um herdeiro pisará no palco? E quem será ele; Pedro, Diogo ou Marcela?

CCL - Nenhum dos meus filhos demonstra interesse pela política partidária. São todos conscientes da importância da vida publica. Sempre foram absolutamente solidários com a minha luta e compreenderam minhas ausências. Mas a política vive um momento muito difícil que desestimula a maioria dos jovens dela participar. Diogo e Marcela já estão formados e trabalham em suas atividades privadas. Pedro curso Direito e estará assumindo no futuro o escritório que constitui.

- Você algumas vezes, desiludido com vicissitudes que o mundo político impõe, pensou em parar? Você já pensou em ativar, para a profissão, aquele jovem advogado formado na Universidade Estadual da Paraíba?

CCL - Parar a atividade publica não cogito neste instante. Em 2010 desejo ser submetido ao julgamento , sempre soberano , do povo da Paraíba. Quero introduzir o debate sobre a soberania do voto popular. Nossa democracia passa por uma grave ameaça com a atual judicialização das eleições. Não responsabilizo o Judiciário por isso, mas sim o Congresso Nacional que produziu uma legislação que retira da mão do povo o poder da decisão final. Este é um debate que o Brasil terá que enfrentar. A minoria não pode Governar numa democracia verdadeira.

- E quanto assumir o advogado que você é?

CCL - Neste período constitui uma sociedade com Harrison Targino, Luciano Pires e Jovino Neto e nosso escritório já esta funcionando.

- Hoje, do que você tem saudades no Brasil e o que mais te irrita no mundo político?

CCL - A saudade é um sentimento forte e inevitável. Irritações procuro não tê-las.

- Um dos pontos fortes de sua popularidade é a imagem jovial. O envelhecimento te preocupa?

CCL - Estou com 46 anos, em breve chegarei ao meio século de vida. Mas já vivi mais do que os meus 46 anos. Desde de muito cedo assumi responsabilidades. A vida me vez amadurecer muito precocemente. Com 20 anos já estava casado . Fui um dos Deputados Constituinte mais jovens do Brasil. Aos 25 anos de idade fui eleito prefeito de Campina Grande pela primeira vez. Aos 29 anos fui para a Sudene. Com 39 anos obtive a primeira das minhas quatro vitorias, dois turnos em 2002 e outros dois em 2006 , para o Governo do Estado. O passar dos anos não me assusta, ao contrario, tento me tornar uma pessoa cada vez melhor.

- Defina por você, quem é o cidadão Cássio Rodrigues da Cunha Lima .

CCL - A autoavaliacao é sempre muito difícil. Mas sempre fui , desde de adolescente , muito responsável com o que faço e comprometido com o que realizo. Levo a serio a minha atividade como homem público seguindo um dos maiores ensinamentos que recebi do meu pai Ronaldo Cunha Lima: " a política não se faz como negocio se faz como sacerdócio". Sou determinado, tenho capacidade de reação nas adversidades e mantenho vivo em meu coração sentimentos humanísticos que são fundamentais para a construção de um mundo melhor. Solidariedade é uma pratica da qual nunca me afastei. Tenho uma solida formação democrática , convivo bem com o contraditório e sei exercer a tolerância como instrumento fundamental de harmonização de uma sociedade cada vez mais plural. Mas a minha luta , a minha maior causa ,sempre foi em defesa dos que mais precisam. A estes dediquei a minha atividade como homem publico , seja como Deputado , Prefeito ou Governador. Em vários momentos paguei muito caro por esta opção. Mas dela jamais me afastarei. Acredito no que faço. Creio num tempo melhor...

Blog do Geovaldo

Obras do PAC vão beneficiar 2,5 milhões

O investimento total em 24 projetos atinge R$ 155 milhões



Na Paraíba estão sendo gerados mais de 11 mil empregos diretos e indiretos com a execução das obras financiadas pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que disponibiliza cerca de R$ 155 milhões. Os recursos são aplicados em um conjunto de 24 obras, sendo 18 delas em fase de execução e seis em etapa de projeto. De acordo com o secretário da Infraestrutura, Francisco Jácome Sarmento, as obras do PAC Saneamento vão beneficiar 2,5 milhões de paraibanos. Os dois principais projetos são a Transposição Litorânea e a Adutora São José. Somente o Sistema Adutor Transposição Litorânea beneficiará mais de 1,5 milhão de pessoas do Litoral paraibano.

São 16 obras no segmento esgoto e oito obras hídricas. Sarmento afirmou que o próprio presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em recente conversa com o governador José Maranhão, elogiou a retomada das obras do PAC na Paraíba e principalmente a nova dinâmica imprimida a partir de 19 de fevereiro, quando assumiu o novo Governo da Paraíba.

Os empreendimentos que ampliarão a infraestrutura de saneamento básico e a oferta de água beneficiarão diretamente as populações de 16 cidades: João Pessoa, Bayeux, Santa Rita, Cabedelo, Conde, Campina Grande, Patos, Cajazeiras, Guarabira, Pocinhos, Lagoa Seca, Matinhas, Alagoa Nova, Caturité, Barra de Santana e Queimadas, além dos distritos de Galante, São José da Mata e o povoado de Jenipapo. Na Capital estão em execução 14 obras, seis de água e oito de esgoto.

Segurança hídrica ? Com investimentos da ordem de R$ 124,5 milhões, a Transposição Litorânea vai solucionar o problema de abastecimento de água tratada da Grande João Pessoa por mais 30 anos. A primeira etapa do projeto será concluída em dezembro deste ano e a segunda deve terminar em junho de 2010.

Estão sendo construídas três barragens denominadas Alhandra, Cupissura e Abiaí. Esses mananciais serão os pontos de captação da água que seguirá por uma adutora com extensão de 37 quilômetros. A água, antes de chegar às torneiras dos usuários, passará pela Estação de Tratamento da Cagepa, no Conde, às margens da BR-101.

O projeto foi idealizado ainda na segunda gestão do governador José Maranhão e esteve paralisado na administração passada. Um dos objetivos da Transposição Litorânea é preparar a Paraíba para receber as águas da transposição do rio São Francisco, em fase de execução pelo Governo Federal, que vai beneficiar a Paraíba e mais os Estados de Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte.

Água para Campina ? Em construção, a adutora São José vai fortalecer o abastecimento de água em Campina Grande e mais sete cidades, dois distritos e um povoado, beneficiando cerca de 450 mil pessoas. O sistema adutor trará segurança hídrica por mais 30 anos e sua ampliação viabilizará a instalação de novas unidades industriais, que vão consolidar o desenvolvimento econômico da região. Serão atendidas as cidades de Campina Grande, Pocinhos, Lagoa Seca, Matinhas, Alagoa Nova, Caturité, Queimadas e Barra de Santana, além dos distritos de Galante e São José da Mata e o povoado de Jenipapo.



Josélio Carneiro, da Secom-PB

CCJ aprova fim do serviço militar obrigatório



Por mais de uma hora, a Comissão de Constituição e Justiça discutiu nesta quarta-feira (17), a Proposta de Emenda à Constituição 162/07, que torna facultativa aos homens a prestação do serviço militar, como acontece com as mulheres. A proposta é do deputado Silvinho Peccioli (DEM-SP). A relatoria é do deputado paraibano Efraim Filho (DEM).

Pela PEC, aprovada na comissão depois de muita polêmica, o serviço militar seria facultativo para homens e mulheres entre 17 e 45 anos.

Pelo Regimento Interno da Câmara, a CCJ deve decidir apenas se aceita a tramitação da PEC. O mérito do texto deve ser discutido em comissão especial e, mais tarde, no plenário. Mas não foi o que aconteceu nesta quarta-feira. As discussões sobre a admissibilidade se confundiram com o mérito da proposta. O deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) acha que a soberania do Brasil estaria em perigo com o serviço militar facultativo. "Um dos artigos fundantes da República Federativa do Brasil é a sua soberania. Quando você fala em soberania, você necessariamente está falando em instrumentos que lhe garantam a soberania. Se amanhã ninguém quiser servir, nós extinguiremos o Brasil."

Relator da matéria, o deputado Efraim Filho (DEM-PB) acredita que inconstitucional é manter o serviço militar obrigatório somente para os homens, já que a Constituição Federal prevê a não-discriminação por sexo. "É um tema polêmico, conflitante, que acaba ultrapassando as fronteiras da mera legalidade para também se discutir a cidadania e o mérito da matéria, já que o serviço militar é um patrimônio do País."

Efraim Filho afirma, ainda, que as Forças Armadas não sofrerão se a proposta for aprovada pelo Congresso Nacional. O deputado acredita que não vai faltar quem se aliste, e que as Forças Armadas vão ganhar pessoas mais qualificadas.

A matéria deverá ser analisada agora por comissão especial e, depois, pelo plenário.


Da Agência Câmara

Senado aprova com 56 votos a PEC paralela dos Vereadores que segue agora para camara federal


O Senado aprovou nesta quarta-feira (17), em dois turnos, por 56 votos a 6, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 47/08 - conhecida como PEC Paralela dos Vereadores -, que limita os gastos dos municípios com as câmaras municipais. Aprovada sob a forma de substitutivo (subemenda 1) pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), a proposta estabelece que as despesas das câmaras municipais, incluídos os subsídios de vereadores e excluídos gastos com inativos, não poderão ultrapassar 7% da receita tributária para municípios com população de até 100 mil habitantes e 3,5% para municípios com mais de 8 milhões de habitantes.
A PEC, que passará a vigorar a partir de 1º de janeiro do próximo ano, altera o artigo 29-A da Constituição, estabelecendo a seguinte tabela de gastos, cujos percentuais são relativos à soma da receita tributária e das transferências feitas aos municípios pela União:
7% Para municípios com até 100 mil; 6% Acima 100 mil até 300 mil; 5% Acima de 300 mil até 500 mil; 4,5% Acima de 500 mil até 3 milhões; 4% Acima de 3 milhões até 8 milhões; 3,5% Acima de 8 milhões.
Atualmente, a tabela de gastos estabelecida pela Constituição é a seguinte:
8% Até 100 mil; 7% Acima de 100 mil até 300 mil; 6% Acima de 300 mil até 500 mil; 5% Acima de 500 mil.
De autoria do senador César Borges (PR-BA), a matéria, aprovada sob a forma de emenda substitutiva, foi relatada na CCJ pelo senador Valter Pereira (PMDB-MS). O texto final é resultado da análise de duas emendas apresentadas em Plenário durante a discussão da PEC, assinadas por 31 senadores. Valter Pereira disse, em seu voto, que houve grande dificuldade para fixar limites de despesa do Poder Legislativo municipal de forma a satisfazer, ao mesmo tempo, necessidades funcionais das mais de 5 mil câmaras do país e controlar os gastos públicos nesse setor.
A PEC 47/08 tem longo trajeto no Congresso. Foi primeiramente votada pela Câmara como PEC 20/08, e, ao chegar ao Senado, foi modificada e desmembrada, a partir da aprovação de requerimento dos senadores Marco Maciel (DEM-PE) e Cesar Borges. A PEC 47/08 é resultado, portanto, do desmembramento de um dos artigos da PEC 20/08. A PEC 20/08, que estabelece nova proporcionalidade para o número de vereadores nos municípios, tramita agora na Câmara, enquanto a PEC 47/08 ficou para ser analisada no Senado. Aprovada, a matéria também será examinada pela Câmara.
Embora o texto da PEC estabeleça que as medidas entram em vigor em 1º de janeiro de 2010, seus efeitos dependem de interpretação do Supremo Tribunal Federal (STF). Isto é, cabe ao tribunal decidir se as novas regras valem para as últimas eleições municipais ou para as próximas.

do blog ricardo pereira/paraiba em foco

Manoel Junior defende regularização do bingo no Brasil


A Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (17/06) a proposta que legaliza os bingos no Brasil. A medida está prevista em substitutivo do deputado João Dado (PDT-SP) ao Projeto de Lei (PL) 270/03.

O deputado Manoel Junior (PSB-PB), que é membro da CFT, é favorável a aprovação do projeto e não acredita ser possível que somente Brasil e Cuba estejam certos quanto à proibição do jogo.

“Em todo o mundo o bingo é regularizado e na Holanda os cassinos são de propriedade do Tesouro. Por isso, voto favorável, para contribuir com o País no combate à corrupção que existe nessa área e porque a tributação nos jogos movimentará bilhões. É uma questão de justiça com os brasileiros que pagam seus impostos”, afirmou o parlamentar.

O deputado aproveitou para parabenizar o relator pelo trabalho realizado na construção do substitutivo, ressaltando a necessidade de alguns ajustes. Junior elogiou a alteração para que os jogos ilegais sejam tratados como infração penal e não contravenção penal. “Isso é sem dúvida uma mudança que causará impacto e evitará os exageros cometidos”, ponderou.

O texto prevê ainda a cobrança mensal de royalties de bingo, no valor de 15% da receita financeira sujeita a tributação. O dinheiro deverá ser utilizado em programas de saúde pública. Também fica proibida a presença de menores de 18 anos e de pessoas viciadas em jogos de azar. De acordo com o texto aprovado, será criado um cadastro nacional desses dependentes, que deverá ser regulamentado no prazo de 180 dias a partir da promulgação da lei.

A matéria segue para analise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde Manoel Junior apresentará emendas ao texto para colaborar no aprimoramento do texto final que irá ao plenário após aprovação.

Seleção enfrenta EUA de olho na vaga na semi


Dunga deverá poupar alguns jogadores por desgaste físico

Lucio está confirmado contra os EUA. Já Juan deverá ser poupado (Crédito: Rodolfo Buhrer)
LANCEPRESS!

A Seleção Brasileira enfrenta os EUA nesta quinta-feira, 11h (de Brasília), no Estádio Loftus Versfeld, em Pretória. A partida é valida pela segunda rodada do Grupo B da Copa das Confederações.

O Brasil venceu o Egito na estreia por 4 a 3. No jogo houve um lance polêmico, no último minuto, o juiz marcou um pênalti a favor da Seleção após uma suposta ajuda de equipamentos eletrônicos.

A principal preocupação do Brasil é o desgaste físico, pois a Seleção teve pouco tempo de preparação. Pensando em poupar alguns jogadores, Dunga poderá promover as entradas de Maicon, Luisão, Ramires e Pato nos lugares de Daniel Alves, Juan, Elano e Robinho, respectivamente. Novidade certa é a entrada de André Santos no lugar de Kleber na lateral esquerda.

- Os americanos estão em um bom momento, não só porque são fortes fisicamente, mas por serem difíceis de superar. Não é normal que sofram três gols em um jogo, como ocorreu contra a Itália - disse Dunga, analisando o adversário.

Já os norte-americanos tentam se recuperar da derrota de virada para a Itália. Donovan abriu o placar para os EUA. No segundo tempo, Guiseppe Rossi marcou dois, e Rossi fez o outro dos italianos. Final de jogo: 3 a 1.

Os EUA terão um problema para o jogo contra o Brasil: o meia Clark está suspenso pelo cartão vermelho recebido contra a Itália. Sua vaga deverá ser preenchida por Beasley. Ainda se recuperando de lesão, o zagueiro Bocanegra não tem condições de jogo. DeMerit joga em seu lugar.

Se vencer, o Brasil praticamente se classifica para a semifinal da Copa das Confederações. Os Estados Unidos precisam ao menos de um empate para continuar sonhando com a vaga.

A outra partida do Grupo B será entre Itália e Egito, às 15h30 (de Brasília).

FICHA TÉCNICA:
BRASIL X ESTADOS UNIDOS

Estádio: Loftus Versfeld, Pretória (AFS)
Data/hora: 18/6/2009 - 11h (de Brasília)
Árbitro: Massimo Busacca (SUI)
Auxiliares: Matthias Arnet (SUI) e Francesco Buragina (SUI)

BRASIL: Julio Cesar, Daniel Alves (Maicon), Lucio, Juan (Luisão) e André Santos; Gilberto Silva, Felipe Melo, Elano (Ramires) e Kaká; Robinho (Pato) e Luís Fabiano. Técnico: Dunga.

ESTADOS UNIDOS: Howard, Bornstein, Onyewu, Spector e DeMerit; Feilhaber, Dempsey, Beasley e Bradley; Donovan e Altidore. Técnico: Bob Bradley.