abril 13, 2009

Cícero mantém intenção de disputar Estado mesmo com união Cássio/Ricardo


O senador Cícero Lucena (PSDB) reuniu a imprensa num café da manhã nesta segunda-feira, 13, em João Pessoa onde abordou diversos temas e reafirmou sua candidatura ao governo do Estado e destacou que disputará a eleição mesmo que o ex-governador Cássio Cunha Lima se alie ao prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB), como se cogita por alguns setores da política paraibana.

Lucena, porém, não credita que Cássio se una a Ricardo. “Cássio perdeu o governo, não foi o juízo não”, disse o senador em tom de brincadeira. Para ele, a história construída entre os dois vai prevalecer. O senador aproveitou para criticar a forma como alguns políticos vem formando alianças para disputar as eleições.

“Estão formando alianças como se forma time de futebol. Para se ganhar uma eleição e não com afinidades de projetos para a Paraíba. Temos que pensar a Paraíba e não projetos individuais como estão fazendo”, criticou.

Ainda sobre as eleições de 2010, Lucena disse que se o ex-governador Cássio Cunha Lima tiver condições legais de disputar o cargo de governador, ele é o candidato natural do PSDB. Ele destacou ainda que lançou sua candidatura ao governo, assim como o senador Efraim, ainda com Cássio no governo e nenhum dos dois recuaram. “Lançamos a candidatura por que temos projetos para a Paraíba e não por que estávamos no poder”, disse.

Quando indagado sobre a dificuldade de se disputar uma eleição sem ter o governo do estado, a prefeitura de João Pessoa e a prefeitura de Campina Grande, Lucena destacou a votação que teve para senador, mas de 800 mil votos, e o conhecimento do estado.

“Mais de 800 mil paraibanos saíram de casa para me confiar o voto e eu conheço cada recanto deste estado, não preciso me apresentar e procurar saber onde é a praça e a igreja de cada cidade”, declarou numa clara referência a peregrinação que o prefeito Ricardo Coutinho vem fazendo por varias cidades do estado.


do wscom

Senado retoma esta semana discussão de PEC que amplia número de vereadores nos municípios

Quem tem intenção de disputar uma vaga para vereador nas eleições de 2012, deve ficar atento ao Senado Federal esta semana. É que entra novamente em pauta a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de número 333, que amplia o número de parlamentares nas câmaras a partir do próximo pleito municipal.

Caso aprovada, a PEC aumentará em 7.343 o número de vereadores do Brasil. Em João Pessoa, o impacto será de seis vereadores. Os 21 atuais se tornarão 27 com a aprovação da proposta. Os senadores devem votar ainda o segundo trecho da proposta, que trata da redução do duodécimo das câmaras municipais.

Em síntese, a PEC cria 24 faixas de composição das câmaras de vereadores, sendo que as cidades com até 15 mil habitantes terão nove cadeiras. O número cresce de acordo com o tamanho dos municípios, chegando ao máximo de 55 vagas para aqueles que tenham mais de 8 milhões de habitantes.

Sobre a redução do duodécimo, enquanto os deputados aprovaram o racionamento em R$ 1,2 bilhão – passando de R$ 6 bilhões para R$ 4,8 bilhões –, os senadores desmembraram esse item em uma outra proposta de emenda à Constituição (PEC), no que seria uma PEC paralela, visando a manutenção do repasse atual. Como a Câmara não aceitou isso, a PEC paralela deve abaixar os gastos e ser devolvida antes de haver a elevação no número de cadeiras para vereadores.

Marcondes Gadelha deve consultar Ricardo sobre convite de Maranhão para assumir pasta

O deputado federal Marcondes Gadelha (PSB) confirmou que recebeu convite do governador José Maranhão (PMDB) para assumir a Secretária de Agricultura do Estado, mas que por enquanto recusou o convite devido a problemas partidários. O deputado estadual Leonardo Gadelha, também do PSB, disse que seu pai deve procurar o prefeito de João Pessoa e presidente do partido na Paraíba, Ricardo Coutinho, para conversar sobre o convite.

Gadelha se disse lisonjeado com o convite do governador, mas devido aos problemas gerados a partir da indicação do deputado Guilherme Almeida para a pasta de Interiorização, prefere recusar o convite. Já Leonardo aponta para a possibilidade de uma conversa entre Marcondes e Ricardo que possa resultar em um Gadelha no governo Maranhão III.

Sobre a recusa do convite, Gadelha disse durante entrevista ao programa Correio Debate, da 98 FM, que seria muito gratificante assumir a secretaria. “Agora, há problemas a serem superados. Problemas de ordem política que precisam ser bem trabalhados", declarou.

Caso Guilherme

O deputado estadual Guilherme Almeida (PSB) ainda espera a nomeação para o cargo de secretário de Interiorização do estado da Paraíba. Almeida disse que não tem tido tempo para conversar com Maranhão, mas pretende ter uma audiência com o governador, mas não para tratar deste assunto.

Almeida disse ainda que a última notícia que teve da ação que impetrou no TRE para se desfiliar do PSB sem perder o mandato, foi que o partido já havia sido comunicado e teria que apresentar a defesa.

“Estava viajando e não sei como anda, foi me informar com meu advogado ainda”, disse.

Guilherme Almeida foi anunciado pelo governador como secretário de Interiorização, mas o PSB vetou a participação de qualquer detentor de mandato no governo Maranhão III. Com o isso, o governador recuou e disse que aguardaria a decisão do partido. O deputado por sua vez, esta decidido a assumir o cargo, mesmo com o partido sendo contra.

O impasse já dura cerca de 60 dias.


do
Wscom Online