setembro 02, 2009

Roberto pede providências contra praga que devasta palma forrageira na PB




O senador paraibano Roberto Cavalcanti (PRB, em discurso nesta terça-feira (1º), pediu providências às autoridades federais contra a praga que vem devastando plantações de palma forrageira na Paraíba.

O senador explicou que o inseto cochonilha-do-carmin (originário do México) vem comprometendo seriamente a safra de palma forrageira, que serve como alimento para os rebanhos nordestinos (de bovinos, caprinos e ovinos).

- Sem a palma forrageira é impossível qualquer atividade pecuária sustentável, do ponto de vista econômico, na quase totalidade das áreas e zonas rurais semiáridas do Nordeste - resumiu o senador.

Roberto Cavalcanti lembrou que, no mês passado, o colega Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) enviou requerimento ao ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes, pedindo informações sobre as ações do ministério sobre o assunto, uma vez que a praga estava devastando o agreste de seu estado.

Roberto Cavalcanti pediu providências das autoridades para que o inseto seja combatido e erradicado o quanto antes, para que a produção pecuária de todo a Região Nordeste não acabe comprometida.

Segundo dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), da Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (Emepa) e da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), informou Roberto Cavalcanti, a praga de cochonilha-do-carmin já destruiu cerca de 100 mil hectares de plantações de palma forrageira no semiárido paraibano. Ele assinalou que a falta da palma forrageira já está comprometendo a produção leiteira da Paraíba.

- O Cariri Ocidental, a Serra de Teixeira e o Vale do Piancó foram as regiões mais afetadas. O prejuízo já chega a R$ 400 milhões. O resultado disso foi um desabastecimento do programa do leite, criado para atender 120 mil famílias - registrou.

Em apartes os senadores Cícero Lucena (PSDB-PB) e Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) concordaram com a necessidade de a praga ser erradicada e pediram que as autoridades agissem rapidamente.

- Esse é um assunto a ser enfrentado com a maior urgência e em que a Embrapa terá, inescapavelmente, papel preponderante. Isso porque o Nordeste rural e semiárido têm na pecuária bovina, caprina e ovina a sua principal e quase exclusiva atividade economicamente viável - acrescentou Roberto Cavalcanti.


Da Agência Senado

Nenhum comentário:

Postar um comentário