Marcelo Weick vai hoje à Assembléia explicar parecer

A Assembléia Legislativa da Paraíba realiza nesta terça-feira (18), a partir das 10h, audiência pública para ouvir o ex-procurador geral do Estado e atual secretário chefe da Casa Civil, Marcelo Weick, sobre as acusações de que teria elaborado parecer para impedir a cobrança de multas no valor de R$ 12,5 milhões aplicadas pelo Fisco contra a empresa Moinho Dias Branco.

As acusações contra Weick foram feitas há duas semanas pelo presidente do SindFisco, Manoel Izidro, e praticamente endossadas pela Consultoria Jurídica do próprio governador José Maranhão (PMDB). Também através de parecer, o consultor Assis Almeida recomendou a anulação do parecer do então procurador geral e abertura de sindicância para apurar se o secretário havia, inclusive, cometido advocacia administrativa (uso de cargo público para favorecer interesse privado).

Weick, por seu turno, defendeu-se dizendo que fez o parecer que aparentemente beneficia o Moinho Dias Branco porque tinha competência legal para tanto e por ser atribuição do procurador geral fazê-lo. Além disso, foi formalmente provocado a se manifestar pela Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico do Estado, que divergia da Secretaria Estadual da Receita quanto à incidência de ICMS sobre produtos fabricados por Dias Branco no Grande Moinho Tambaú, que funciona em Cabedelo.A Procuradoria Geral do Estado tem, por lei, o papel de revisora ou uniformizadora de diferentes entendimentos jurídicos esboçados por dois ou mais órgãos estaduais em torno da mesma questão. O procurador geral, segundo a Lei Orgânica da PGE, teria ainda o poder de avocar (pedir para examinar ou dar encaminhamento que considerar mais adequado) qualquer processo que tramite em qualquer instância da administração pública estadual. O processo do Moinho Dias Branco foi avocado por Weick quando a matéria estava para ser julgado pelo Conselho de Contribuintes, ao qual a empresa recorreu depois de ver negado pedido de dispensa, junto à Coordenadoria da Secretaria da Receita, das autuações feitas por um auditor fiscal.
A audiência pública foi solicitada pelo deputado Lindolfo Pires (PSDB) e será realizada no Plenário Deputado José Mariz. Além de Weick, foram convidados o secretário de Estado da Receita, Anísio Carvalho Neto, o presidente do SindFisco, Manoel Izidro, e o procurador geral do Estado, Edísio Souto, que semana passada devolveu o processo do Moinho Dias Branco ao Conselho de Recursos Fiscais.
Independentemente da convocação, o secretário Marcelo Weick já tinha comunicado, através do deputado Jeová Campos (PT), que se encontrava em plenário quando a sessão foi proposta, que estava à disposição da Assembléia para prestar os esclarecimentos necessários.

do portal correio

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Parlamento terá dia especial no Fórum Mundial da Água

População de Nova Floresta lamenta o falecimento do ex- vereador João Bolinha.

TERMO DE DOAÇÃO