agosto 28, 2009

Maranhão sobrevoa Paraíba nesta 6ª para mapear pólo pesqueiro

O governador José Maranhão faz, nesta sexta-feira, 28, um sobrevoo para identificar, na Paraíba, as áreas que poderão servir para desenvolver projetos de aquicultura, tornando o estado preparado para a instalação de um pólo pesqueiro de grande porte. A decolagem sai do hangar do Governo do Estado, próximo ao Aeroporto Castro Pinto.

Na oportunidade, José Maranhão apresentará ao presidente do Conselho Nacional de Pesca e Aquicultura (Conepe), Fernando Ferreira, as áreas pretendidas, que serão avaliadas por técnicos do conselho a fim de se mensurar quais possuem maior potencial. A intenção do governo é investir no setor pesqueiro, criando formas sustentáveis de geração de emprego e renda com base no aproveitamento total do peixe.

A produção de pescado de água doce hoje é de 14.350 toneladas/ano, produzidas por mais de 12 mil piscicultores e o fortalecimento de toda a cadeia produtiva da espécie.

O presidente do Conepe, Fernando Ferreira, adiantou que a convite do governador José Maranhão, o conselho inicialmente formatará um projeto com a colaboração dos técnicos da Empasa e Sedap, órgãos responsáveis pela execução do Programa Estadual de Piscicultura, para implantar um pólo industrial de pescado, a fim de garantir a sustentabilidade de 60 mil famílias que hoje sobrevivem da atividade piscícola.

Através do projeto se busca caracterizar a pesca do estado com vistas à organização dos arranjos produtivos, levando em consideração o cooperativismo, dando ênfase à geração de renda para a família no campo, visando fixar o produtor em sua região e promover a verticalização da produção de pescado.

Segundo Ferreira, o projeto piloto será desenvolvido a partir de projetos já concebidos pelo Banco Mundial na Paraíba e seguirá os moldes de uma experiência monitorada pelo Conepe em outros Estados do País, a exemplo do Ceará, onde atualmente atende mais de 800 famílias que diariamente exportam sete toneladas de filé de tilápia para os Estados Unidos.

O presidente do Conepe revela que o governador José Maranhão mostrou-se bastante entusiasmado com a psicultura por ver, neste ramo de atividade, a possibilidade de geração de renda com custo de investimento de baixo e de rápido retorno.

“A Paraíba tem tudo para se tornar um grande produtor e exportador de peixe de água doce, pois além da visão empreendedora do governador Maranhão, possui capacidade técnica dos profissionais e estrutura de produção e manejo das espécies nas Estações de Piscicultura em Itaporanga e Marizópolis e berçários de alevinos em três municípios, administrados pela Empasa. Somados a isso, também tem uma reserva hídrica superior a 4 bilhões de m3 nos quase 5.000 pequenos, médios e grandes reservatórios”, destacou o presidente do Conepe.

De acordo com Ferreira, com o pólo industrial de pesca que funcionará em sistema de cooperativismo, será possível fazer o beneficiamento do pescado para produzir farinha de peixe, hambúrguer, linguiça, filé e outros produtos. “Além de vender os produtos para o mercado interno, pretendemos exportar filé de tilápia para outros Países. Para isso, vamos capacitar do piscicultor aos profissionais que farão o beneficiamento”, destacou.

Fernando Ferreira declarou que o Conepe está preocupado com a tramitação dos processos de outorga do uso das águas públicas, que já estão na esfera federal, mas ocorrendo de forma bastante lenta. “O Conselho empenhará todos os seus esforços para agilizar os processos junto ao Ministério da Pesca”, garantiu Ferreira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário