Senado aprova lei que força revelação de ingredientes de cigarro



O Senado dos Estados Unidos aprovou hoje delegar ao Governo o controle da produção, venda e publicidade do cigarro, apesar das objeções da indústria, que, desta forma, será obrigada a revelar quais ingredientes usa nos produtos.

A iniciativa promovida pelo democrata e ex-fumante Christopher Dodd, entre outros legisladores, é similar a uma aprovada em maio pela Câmara de Representantes.

A medida concede este controle à agência reguladora de alimentos e remédios dos Estados Unidos (FDA, em inglês) "Os milagres ainda acontecem. Finalmente o Senado dos EUA disse 'não'" à indústria do tabaco, afirmou em uma declaração emitida por seu escritório o senador democrata Ted Kennedy, que não participou da votação por causa do câncer cerebral que o afeta.

Segundo os analistas, a lei não só reduzirá o número de mortes causadas pelo fumo, mas também significará uma economia anual de US$ 100 bilhões em custos por atendimento médico.

Fontes legislativas explicaram que isso significa que a lei obrigará a indústria do tabaco, que movimenta anualmente US$ 89 bilhões, a declarar de que são feitos os seus produtos, entre os quais se incluem cigarros, charutos e tabaco de mascar.

Além disso, o organismo do Governo federal estará autorizado a proibir o uso de substâncias que considere nocivas.

A medida ordena que as companhias aumentem os rótulos de advertência nos maços dos produtos e incluam imagens sobre os danos que o cigarro pode causar à saude.

A publicidade será restringida, e as tabaqueiras deverão eliminar os termos "light", "mild" e "low", a menos que consigam provar que os produtos que os usam são realmente menos nocivos.

O projeto de lei recebeu 79 votos a favor e 17 contra, e o presidente Barack Obama, que reconheceu que ocasionalmente fuma, anunciou que sancionará a lei assim que chegar à Casa Branca, o que poderia ocorrer na próxima semana, disseram fontes legislativas.

Dodd elogiou a votação a favor na Câmara Alta e assinalou que "não há um fumante adulto neste país que deseje que seus filhos comecem a fumar e também há muitos adultos que desejam não ter começado jamais".

A aprovação do Senado e a eventual promulgação da lei constituem um dos últimos capítulos nos esforços do Congresso americano para regular a indústria do tabaco, que se arrastaram durante mais de uma década.


Do Portal Uol

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Parlamento terá dia especial no Fórum Mundial da Água

População de Nova Floresta lamenta o falecimento do ex- vereador João Bolinha.

Wilson Santiago e Wilson Filho são recebidos por lideranças politicas em Ingá