maio 13, 2009

Tribunal de Justiça promove seminário sobre “Adoções necessárias”

O Tribunal de Justiça da Paraíba promoveu, na tarde desta terça-feira (12), no auditório “Desembargador Francisco Floriano da Nóbrega Espínola”, do Fórum Cível da Capital, o Seminário “Adoções Necessárias”, com o objetivo de mobilizar a sociedade e entidades governamentais na busca de famílias para adoção de crianças e adolescentes excluídos da preferência dos adotantes

O evento, promovido pelo Tribunal de Justiça da Paraíba, através da Secretaria de Recursos Humanos e das Coordenadorias da Infância e Juventude e de Desenvolvimento de Recursos Humanos e Programas Especiais, contou com o apoio da Comissão Estadual Judiciária de Adoção (Ceja) e da Corregedoria Geral da Justiça.

Os trabalhos foram abertos pelo desembargador Abraham Lincoln da Cunha Ramos, corregedor-geral de Justiça, que representou o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Luiz Sílvio Ramalho Júnior. Ele lamentou o preconceito que ainda existe por parte de muitas pessoas no momento de adotar uma criança. A maioria, segundo ele, sempre opta por escolher pessoas de cor branca, diferentemente dos europeus que dão preferência a crianças de pele escura.

Em seguida, foi realizada uma palestra sobre “O papel da sociedade na busca ativa pelas adoções necessárias”, proferida por Suzana Sofia Moeller Schettini, mestre em psicologia clínica pela Universidade Católica de Pernambuco. Ela é mãe adotiva e vice-presidente da Associação Nacional dos Grupos de Apoio à Adoção.

Durante a palestra, ela afirmou que as questões relativas à adoção de crianças e adolescentes se inserem numa rede completa, com implicações de ordem jurídica, psicossocial e afetiva. A professora Suzana Schettini destacou a importância do movimento nacional pelo direito à convivência familiar e comunitária, liderado pelos grupos de apoio à adoção.

Depois da palestra, foi exibida uma reportagem sobre a adoção de crianças por famílias paraibanas. Também houve depoimentos, na platéia, de casais que relataram a experiência da adoção de filhos em suas vidas. O cantor Israel Coelho fez uma apresentação da música “Tô no mundo esperando por você”, que fala da importância de se adotar uma criança.

Os trabalhos tiveram seqüência com uma mesa redonda coordenada pelo desembargador Romero Marcelo da Fonseca. Nesta etapa, falaram sobre o tema a juíza-corregedora Antonieta Lúcia Maroja Arcoverde Nóbrega Santos; o juiz da 1ª Vara da Infância e Juventude da Capital, Fabiano Moura de Moura; a juíza Maria dos Remédios Pordeus Pedrosa Sarmento, da 2ª Vara da Infância e Juventude da comarca de Sousa; e a promotora de Justiça Soraya Soares da Nóbrega Escorel.

O Seminário teve, ainda, o apoio da 1ª Vara da Infância e da Juventude de João Pessoa; da Associação dos Magistrados da Paraíba (AMPB) e da Associação das Esposas dos Magistrados e das Magistradas da Paraíba (Aemp).

Por Lenilson Guedes
do site do TJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário