maio 19, 2009

Presidente nacional do PTN diz que Ricardo quer silenciar oposição em JP

EXCLUSIVO: O presidente nacional do PTN, ex-deputado federal José de Abreu, afirmou na noite desta segunda-feira (18), em entrevista exclusiva ao ClickPB que existe uma forte pressão do prefeito de João Pessoa e pretenso candidato ao governo do estado, Ricardo Vieira Coutinho, para calar a oposição na capital paraibana. “Existe realmente uma forte pressão do Ricardo Coutinho para tentar silenciar seus opositores. O que nossos filiados estão fazendo é tão somente entregar ao Ministério Público fatos noticiados pela imprensa que comprometem a administração deste senhor e se as denúncias não procedem, por que ele simplesmente não as responde”, indagou Abreu.

O presidente defendeu o papel fiscalizador da oposição e alfinetou os que não admitem o contraditório, afirmando que aqueles que não aceitam a crítica não podem ser chamados de democratas. “O livre exercício da oposição em seu papel fiscalizador é algo natural nos regimes democráticos e quem não respeita isso é porque não se enquadra na livre manifestação de idéias”, completou.

A Direção Estadual do PTN protocolou na tarde desta segunda-feira, junto ao TRE/PB - Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba documento em que destituiu a antiga direção da legenda no Município de João Pessoa, que era presidida por Nicola Lomanoco e nomeou uma nova direção do partido na capital, que passa a ser presidido pelo sindicalista Francisco de Assis Pereira.

De acordo com o Presidente do Diretório Estadual do PTN, Fábio Medeiros, a decisão de substituição da direção do PTN em João Pessoa, foi tomada em reunião estadual, após serem ouvidos os vários diretórios municipais da Paraíba, Vereadores e Prefeito, sendo unânime a decisão desta substituição, tendo em vista o tom destoante que a direção pessoense vinha adotando, em relação ao governo Ricardo Coutinho.

Fábio afirmou que esta decisão foi uma construção em que os vários dirigentes apontaram a administração de Ricardo Coutinho como um bom exemplo, e estranharam como podia a Direção de João Pessoa praticar abertamente uma atitude de hostilidade e de oposição ao líder socialista. “João Pessoa era a única direção do PTN que não apoiava a administração de Ricardo Coutinho, ela era uma exceção que tivemos que corrigir”, disse.

Espantado com a intervenção, Abreu relembrou o caso do ex-presidente da legenda, Vailson, que segundo ele teria desviado recursos do partido para uma conta pessoal. “Eu fui informado sobre esta intervenção há pouco mais de uma hora e vou ouvir os dois lados para saber os motivos que levaram o Flávio a tomar esta decisão. É claro que é possível reverter este problema, não faz muito tempo que um rapaz que na minha opinião é louco, o Vailson, pegou dinheiro do partido e transferiu para o conta dele. Isso lamentavelmente vem ocorrendo em João Pessoa, mas poderemos rever tudo após ouvir os dois lados”, explicou.

Como primeira providência, o deputado garantiu que vai ouvir os dois lados para tomar uma decisão junto a Executiva Nacional. “Amanhã vou receber toda esta papelada das mãos do Nicola Lomonaco e logo após falar com o Flávio vamos nos reunir com a Executiva Nacional para ver que posicionamento adotaremos, mas volto a dizer que tudo pode ser revisto”, reiterou.


do clickpb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Dezembro Vermelho

Ao longo deste mês, prédios públicos em todo o Brasil ficarão iluminados de vermelho para marcar a luta contra a aids. Além da iluminação, ...