Luiz Augusto Crispim recebe homenagem da APL


O escritor e jornalista Luiz Augusto Crispim, falecido em dezembro passado, receberá homenagem póstuma hoje, às 17h30, na sede da Academia Paraibana de Letras. A sessão solene é uma realização conjunta da APL, Conselho Estadual de Cultura (CEC), Instituto Histórico e Geográfico Paraibano (IHGP) e da Academia de Letras e Artes do Nordeste - Núcleo Paraíba.

O presidente da APL, Juarez Farias, informou que aspectos das atividades intelectuais de Crispim serão expostos durante a sessão pelos acadêmicos Luiz Gonzaga Rodrigues, José Jackson de Carvalho, Hildeberto Barbosa Filho e Ângela Bezerra de Castro. Em nome do IHGP e da Associação Paraibana de Imprensa (API), falarão, respectivamente, o historiador Luiz Hugo Guimarães, e o jornalista Abelardo Jurema Filho.

A sessão será encerrada com o lançamento do livro “A Pensão da Paz Dourada”, de Luiz Augusto Crispim, com ilustrações de Flávio Tavares, e a declaração oficial de vacância da Cadeira 3, que era ocupada pelo falecido cronista do “Correio da Paraíba”. Crispim também ocupava a Cadera 9 do IGHP. Na APL, ele foi presidente em dois mandatos e atuava como vice nos últimos anos.

Antes da luta contra o câncer, Crispim vinha se dedicando ao curso de Direito na UFPB, no qual era professor, e ao escritório que tinha com seu filho Luiz Augusto.

A filha de Luiz Augusto Crispim, a psicanalista Teresa Crispim, disse que sua palavra durante a sessão solene de hoje será mais um agradecimento à homenagem que os amigos estão prestando. Ela agradecerá ao sofrimento compartilhado com todos. “Todos sentem muita falta de painho. Ele era uma pessoa de muitos amigos e deixou uma lacuna muito grande”, declarou. Teresa adiantou que compartilhará um episódio que fez ela e sua família entenderem porque Deus o havia deixado passar estes últimos seis meses em casa.

Durante a homenagem póstuma, o professor José Jackson de Carvalho destacará o filósofo que Crispim foi. Jackson titulou seu discurso como: “Luiz Augusto da Franca Crispim – um filósofo da nossa terra e do nosso tempo”. Ele contou que conversava bastante com Crispim sobre uns textos do livro de Ética que morreu sem terminar. São textos que foram lidos e discutidos em duas ocasiões na Academia Paraibana de Filosofia.

Segundo Jackson, Crispim tinha uma visão lúcida e atual do que é Filosofia. Entendia a Filosofia como uma atitude intelectual autônoma, crítica e reflexiva sobre o que é a realidade. Ou seja, sobre o mundo, a sociedade, a História, o Direito e sobre si mesmo. Jackson também destacará a percepção apropriada que Crispim tinha da relação estreita entre Filosofia e Literatura. O cronista fez um paralelo entre a maiêutica de Sócrates e a estética literária de Dostoievski. Assim como o primeiro usava o confronto de ideias para chegar à verdade, o segundo usava os diferentes discursos dos personagens para construir sua estética.

Jackson lembrou que Crispim lia em francês e tinha intimidade com a obra do grupo de filósofos franceses que esteve em evidência de 1935 a 1970. Ele disse que é de pensadores como Albert Camus, Andre Gide, André Malraux, Jean-Paul Sartre e Geoges Bernanos que emana a fonte da intelectualidade de Crispim. Para Jackson, Crispim era um filósofo Socrático, no sentido de que fez da Imprensa, do Instituto Histórico e Geográfico da Paraíba, da Universidade e de todos os locais em que passou sua Ágora. “Crispim nunca se recusou a escrever um prefácio ou uma orelha para qualquer jovem escritor que lhe pedisse. Era um incentivador da juventude intelectual da Paraíba”, declarou Jackson.

A escritora Ângela Bezerra de Castro vai destacar o Crispim ficcionista. Ela explicou que será mais um depoimento do que uma análise. Ela identificou que Crispim estabeleceu sua ficção narrativa a partir das crônicas e comentará o livro que deixou pronto, “O memorial da pensão da paz dourada”, que será lançado durante a sessão.

Ângela abordará o primeiro romance que Crispim escreveu, datado de 1986 e que tinha duas sugestões de título, “As chaves do abismo” ou “Os senhores da terra”, mas que nunca foi lançado.

fonte portal correio

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Parlamento terá dia especial no Fórum Mundial da Água

População de Nova Floresta lamenta o falecimento do ex- vereador João Bolinha.

TERMO DE DOAÇÃO