janeiro 14, 2009

PSB trabalha para ser a alternativa à disputa entre Cássio e Maranhão

O Projeto do PSB da Paraíba, para as eleições de 2010, é ocupar o vácuo deixado pela disputa entre os grupos do governador Cássio Cunha Lima (PSDB) e do senador José Maranhão (PMDB). A estratégia foi revelada pelo vice-presidente estadual do partido e secretário de Articulação da Prefeitura de João Pessoa, Edvaldo Rosas.

Segundo ele, o partido do prefeito Ricardo Coutinho avalia que os paraibanos estão cansados da polarização entre esses dois grupos e se revelam carentes de renovação política. “O PSB está avançando nesse vácuo e tem conseguido resultados significativos com o processo de articulação que temos feito”, afirmou.

Rosas fez as declarações em entrevista ao jornalista Heron Cid, para o Correio Debate desta quarta-feira (14), quando destacou que qualquer discussão sobre as eleições de 2010 necessariamente passam pelo PSB. Ele acrescentou que o partido não se mete na disputa dos dois grupos pela hegemonia política do Estado.

“Nós temos viajado muito - praticamente 60 mil Km em quatro anos - e onde temos chegado com Ricardo há ansiedade de renovação política. O que restar desse debate dos dois segmentos cabe a nós discutir um projeto mais amplo para 2010. Isso vamos fazer no devido tempo, e não agora, porque qualquer debate sobre 2010 agora no PSB atrapalha a gestão de Ricardo e o futuro político que estamos construindo.

Observou, no entanto, que a o PSB, como terceira força política da Paraíba, está credenciado do ponto de vista eleitoral e do ponto de vista de projetos para abrir o debate junto à sociedade e outros partidos. “E vamos fazer o debate, seja com os segmentos que não querem um grupo, seja com os segmentos que não querem o outro. Eu diria que nos agradamos dos dois lados. Essa é a questão central: agradamos dos dois lados”.

Para que possa ter uma participação efetiva na chapa majoritária em 2010 o PSB paraibano “já se articula com outros partidos a fim de fazer uma articulação, não só do pontos de vista efetivo da disputa, mas também do ponto de vista da elaboração de um programa de Governo.

De antemão o vice-presidente do PSB afirmou que o partido “não vai entrar sozinho para uma disputa em 2010 pensando que é o dono da bola, absolutamente”.

Rosas foi perguntado sobre a aventada possibilidade de o PSB partir para a disputa eleitoral de 2010 como uma terceira via e respondeu: “Nós estamos montando um projeto e trabalhamos com vários cenários. O da terceira via é um cenário, mas sabemos da dificuldade que há para que esse cenário tem para ser implementado’.

Inicialmente Rosas analisou: “Pelo salto que foi dado de 2004 a 2008, estamos com um projeto de participar da chapa majoritária, que é essencial. No momento, a prioridade de Ricardo é a gestão; temos 79 obras para inaugurar até junho de 2009 e mais o PAC no segundo semestre. Do ponto de vista político queremos aumentar de dois para três o número de deputados federais; de três deputados estaduais para seis e ter uma participação efetiva na chapa majoritária para 2010".

Quanto a possíveis rachas entre os partidos da oposição, ele esse é um discurso falso, “porque estamos juntos com os companheiros de 2006. No projeto de João Pessoa, nós estamos com setores que não estiveram em 2006. O projeto de 2010 passa pelo PTB, pelo PMDB, pelos partidos da base do governo Lula. Essa é a discussão que estamos priorizando para 2010. PT e PTB fazem parte do Governo Lula, como o PMDB. Cada partido sabe do seu poder de fogo. E o que queremos é mostrar para a sociedade paraibana que nós temos um projeto diferente”.

Ricardo versus Veneziano
É que é fundamental é o seguinte: tem gente que gosta de fazer política e quer crescer só. O PSB não cresce só. É tanto que nós montamos um Governo em João Pessoa, no segundo mandato, representando os vereadores e os pequenos partidos, do menor ao maior. Esperamos que veneziano der a representação que o PSB tem em Campina Grande o que nós estamos dando ao PMDB em João Pessoa. Não diminui a representação do PMDB. Nos fizemos uma disputa em 2004 com quatro partidos e disputamos agora com 16 partidos. Alguem vai ter que tirar de alguém, fazer uma divisão mais igualitária. Em Campina Grande não tivemos esse tratamento. E antecipar, no segundo turno, a disputa de 2010 conosco acho que foi um erro estratégico. E nós tivemos bastante humildade para não entrar naquele debate em Campina. Nós reafirmamos nosso apoio a Veneziano no segundo turno. Toda militância foi, o partido foi. E esperamos um diálogo agora para a formação da equipe do segundo mandato do governo veneziano, que não foi feito ainda.


Disse que a sua missão, com relação à camara municipal é mantert uma interlocução diária com o Poder Lefgislativo, para o que já marcou uma agenda com o presidente Durval Ferreira. Qualquer projeto que for ser enviado à Câmara será discutiro não somente com segmentos da sociedade, mas também previamente com os vereadores que compõem a bancada do governo.

O objetivo é fazer com que as divergências internas sejam resolvidas numa discussão prévia da matéria em questão.

Edvaldo Rosas disse que a intenção do bloco governista é ampliar, ma Camara Municipazl , o bloco de sustentação política de apoio ao prefeito Ricardo Coutinho.
Hoje são 14 vereadores que apoiam o prefeito, mas a pretensão é ir para 16 ou 17, para ter uma margem de segurança maior. “Nós conversamos ontem com os vereadores Corujinha, João dos Santos e, até sexta-feita, voltamos a conversar com um outro vereadores com quem já iniciamos diálogo”

Com relação a Corujinha e João dos Santos, os entendimentos já estão bastante avançados, “e vamos tentar fechar isso hoje com uma conversa com Ricardo Coutinho”.


Na Câmara
Edvaldo anunciou que os vereadores Corujinha e João dos Santos praticamente estão confirmados como reforços à base de sustentação política do prefeito Ricardo Coutinho, na Câmara Municipal de João Pessoa.

Hoje são 14 vereadores que apoiam o prefeito, mas a pretensão é ir para 16 ou 17, para ter uma margem de segurança maior. “Nós conversamos ontem (terça-feira) com os vereadores Corujinha, João dos Santos e, até sexta-feita, retomaremos a conversa com um outro vereadores com quem já iniciamos diálogo”

Com relação a Corujinha e João dos Santos, os entendimentos já estão bastante avançados, segundo Edvaldo. “E vamos tentar fechar isso com uma conversa com Ricardo Coutinho”.

Edvalro Rosasafirmou que a sua missão, com relação à Câmara Municipal é manter uma interlocução diária com o Poder Lefgislativo, para o que já marcou uma agenda com o presidente Durval Ferreira. Explicou que qualquer projeto que for ser enviado à Câmara será discutido não só com segmentos da sociedade, mas também com os vereadores que compõem a bancada do governo.

O objetivo é fazer com que as divergências internas sejam resolvidas numa discussão prévia da matéria em questão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Dezembro Vermelho

Ao longo deste mês, prédios públicos em todo o Brasil ficarão iluminados de vermelho para marcar a luta contra a aids. Além da iluminação, ...