janeiro 30, 2009

Os efeitos da Crise


Até então, não tinha ainda ouvir caso concreto de alguém que conheço, apitar sobre os efeitos da exacerbada crise que assola a economia mundial. Ontem, quando a lazer no Sindicatos dos Bancários (Acervo cultural dos músicos paraibanos) me rendia a beleza da música produzida pelo encantador grupo musical Xique-Xique formado por sertanejos da cidade de Sousa, Aparecida, porém radicados na capital a muito tempo, a exemplo do talentoso Julimar Dias, mestre das cordas e dono de uma entonação vocal magnânima, eis que encontrei Gil Martins, ex-companheiro de COTEMINAS, grande empresa do ramo têxtil, instalada na Paraiba nas cidade de João Pessoa e Campina Grande. Gil sempre foi aquele cara prestativo, que deixa de fazer o dele para servir ao próximo, sorridente, enfático, inteligente, acima de tudo honesto. Cordias cumprimentos, como sempre vem o assuntos de praxe - Trabalho. Lhe pergunto como vai a COTEMINAS. Gil enverga e diz que a empresa está parada ou seja, 2500 funcionários estão em férias coletiva e compulsória, sem contar que 600 já haviam sido demitidos no decorrer do ano, justo pela queda do mercado consumista americano, além de que, previa-se que por ser uma ano eleitoral nos States, onde o Partido Republicano enfrentava um revés popular, que mais tarde culminaria com a vitória de Barack Obama dos Democratas, foi melhor não arriscar grandes saltos, e preferir a cautela. Cá pra nós, eu já tinha ciência de que uma empresa que exporta quase 90% de sua produção para os EUA, em meio a essa recessão econômica, queda livre das bolsas conseqüentemente a mudança para um novo governo de ideologia DEMOCRATA, iria sofrer todo esse processo de recessão econômica, risco da empregabilidade. no entanto Obama foi eleito pelo voto, com uma aprovação mundial, o novo alcaide americano é capaz de fazer pensar se vale apena continuar fazendo essa sistemática adversa, levando até os mais ríspidos adversários de Washigton como Fidel, Puttin, Chirrac, Chavez, Evo Morales e vários outros lideres, a pensar seriamente se vale apena continuar criando ou mantendo os muros, ao invés construir pontes para uma bôa relação.

Bush não foi nenhum pouco diplomático. Desrespeitou a ONU, cuspiu na cara da OTAN, pisou em Chirrac, não deu ouvidos para Gerrard Schoreder, juntamente com o fiel escudeiro Tony Blair, fez e aconteceu como quiz, invandiu o Afeganistão, tomando o poder de Cabul em mínima fração de tempo, programou a invasão de Bagdá, promovendo a derrocada humilhante de Sadan, por pouco não foi a vez do Iran e da Coréia do Norte. Verdade seja dita, Bush teve muita coragem, arriscou de tudo e de todo jeito, com pulso firme, causou expanto ao mundo, amendontrou a nação por completo. O resultado de tudo isso, é justamente essa crise. É COMO SE FOSSE UM EMBARGO a tranqüilidade do cidadão dos quatro cantos do mundo, em especial nós Brasileiros, Paraibanos. Logo após tanta fartura que está por vir, com as delícias dos Panetones, Vinhos finos, peru, cheester, encontros emocionantes, aprovação na faculdade, amigo secreto, chocolates, viagens, novas compras, belas roupas, reencontros, cartões de natal e ano novo, reunião de família com discursos memoráveis, posse de novos prefeitos, vices e vereadores, 2009 chega para PEDIR VISTAS e fazer um balanço, tendo como resultado totalizador a esperança que será um ano de expulsar a crise econômica, e da próxima vez que eu encontrar meu amigo Gil Martins, ele vai está sorridente, comemorando os bons resultados do mercado interno e externo da economina como um todo.


Escrito por : Radomécio Leite de Sousa
Acesse o blog : www.radomecio.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário