janeiro 19, 2009

Independência ou voto: Bruno Farias rejeita orientação do partido sobre apoio a Ricardo

O vereador Bruno Farias, do Partido Popular Socialista (PPS), afirmou em entrevista a uma rádio local que não aceita a decisão da direção municipal da legenda, em condicionar os vereadores do partido (ele e a vereadora Elisa Virgínia) a apoiar incondicionalmente o prefeito Ricardo Coutinho (PSB) na Câmara Municipal de João Pessoa.

“Fiquei absolutamente perplexo. Trata-se de um embuste, e contra embusteiro eu quero decidir no voto. Por isso, sou candidatíssimo à presidência municipal do PPS, e tenho o apoio do deputado Nivaldo Manoel e da deputada Socorro Marques”, disse.

Segundo Bruno, que junto com Elisa posicionou-se em um chamado “grupo independente” na Câmara, houve uma reunião do partido e a maioria decidiu franqueá-los nessa postura de independência.

“Até onde eu sei, sete é mais que quatro. Fiz mais de uma via do documento e vou ao cartório de registro de títulos e documentos mostrar com quem está a verdade”, assinalou.

Para Farias, a postura da direção do partido fere o código de ética e o estatuto do próprio PPS.

“O estatuto do partido permite que qualquer filiado e detentor de mandato eletivo possa externar opinião internamente e publicamente, mesmo que divergente e minoritária, e é dever de qualquer filiado respeitar a opinião contrária, mesmo que minoritária”, frisou.


fonte wscom

Nenhum comentário:

Postar um comentário