dezembro 16, 2008

Continuo no processo, diz José Edísio, sobre destituição anunciada pelo PCB nacional

O advogado José Edísio Souto, afirmou a imprensa que não vai comentar as declarações do PCB nacional, que anunciou a destituição dos advogados paraibanos do processo em tramitação no Tribunal Superior Eleitoral.
Edísio integra a defesa do senador José Maranhão (PMDB) no processo que envolve a cassação do governador Cássio Cunha Lima (PSDB). Também representa o PCB na mesma ação o advogado Marcelo Weick Pogliese.
“Não falo sobre o PCB. Nem eu, nem ninguém. Quem tem que falar sobre o PCB é o próprio PCB”, disse Edísio.
A direção nacional do Partido Comunista Brasileiro (PCB) comunicou ao Tribunal Superior Eleitoral nesta segunda-feira 15 que está assumindo o controle das demandas judiciais relativas ao Caso FAC. O PCB é o autor da ação, que redundou na cassação do governador Cássio Cunha Lima (PSDB).
No documento, o partido desautorizando os advogados Marcelo Weick, José Edísio Souto e outros a falar em nome da legenda no julgamento relativo ao “Caso FAC”. Todos foram desabilitados.
O partido informa ainda que a partir de agora apenas documentos subscritos por seu secretario geral, Ivan Martins, terão a chancela do partido.
Há semanas, PCB nacional e PCB local se desentendem a respeito da posse do senador José Maranhão no Governo do Estado, em substituição a Cunha Lima.
A direção nacional pede novas eleições. E uma ação nesse sentido foi ingressada na Justiça, por parte do advogado Antônio Trajano de Carvalho, em nome do PCB estadual. O partido o destituiu. Mas Carvalho informou que cumpria orientação da direção nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário