novembro 24, 2008

Câmara vota 4ª feira o aumento dos aposentados

Brasília - Por falta de quorum, foi encerrada a primeira sessão da Câmara dos Deputados do “esforço concentrado” para votar a medida provisória que reajusta os salários dos aposentados e servidores. O governo obstruiu a votação e apenas 184 dos 513 parlamentares marcaram presença na sessão. Uma nova tentativa está marcada para esta quarta-feira, às 14 horas.

Líderes da base governista e da oposição não se entendem na votação da MP 291, que reajusta em 5% os benefícios de aposentados e pensionistas do INSS que recebem mais de um salário mínimo. A oposição insiste em um reajuste de 16,67%, mas o governo argumenta que não há como conceder esse índice.

Segundo o líder do PT, deputado Henrique Fontana (RS), a base governista não está disposta a votar a MP se a oposição insistir nos 16,67%. "Não tem ambiente para votar o reajuste desse jeito que está posto pela oposição", afirmou.

O líder disse que mesmo que a MP perca sua eficácia, o que ocorrerá no dia 10 de agosto se não for aprovada até lá, o governo encontrará mecanismos para garantir o reajuste de 5% para os aposentados.

Fontana afirmou também que se o PFL e o PSDB insistirem na posição de elevar o reajuste, “não há como salvar o esforço concentrado desta semana”. Ele lembrou que se medida provisória não for votada nenhuma outra matéria poderá ser apreciada pelos deputados, por ser o primeiro item da pauta de votações.
Já o líder da minoria, deputado José Carlos Aleluia (PFL-BA), acusou os aliados do governo de não deixarem votar o reajuste dos aposentados. Segundo ele, há quase dois meses o governo vem obstruindo a votação da MP.

"Nós, da oposição, estamos aqui para votar. Mas o governo está obstruindo porque não quer, de público, assumir a proposta de esmagar o aposentado", afirmou o líder.
Aleluia disse que o governo está usando um instrumento que é da oposição: obstruir as votações.

fonte: www.onordeste.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário